Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

Greve na Catalunha provoca bloqueios em avenidas e linhas ferroviárias

Sindicatos separatistas da Catalunha convocaram uma greve para esta quarta-feira contra o quadro político no país. O Serviço Catalão de Tráfego informou nesta manhã que mais de 50 vias eram afetadas pelos protestos dos grevistas, muitos deles nos acessos para grandes cidades da região, incluindo a capital regional, Barcelona. A operadora nacional de trens, Renfe, informou que havia composições paradas em dezenas de linhas locais, após manifestantes ocuparem essas vias. Também houve atrasos ou desvios nos trens de alta velocidade.

Os sindicatos separatistas protestam contra a intervenção das autoridades centrais da Espanha na Catalunha. Partidos políticos e grupos civis pediram aos trabalhadores que se reúnam ao meio-dia nas principais cidades e novamente à noite para protestar contra a prisão de ex-membros do governo destituído da Catalunha, liderado por Carles Puigdemont, que foi para a Bélgica.

O premiê belga, Charles Michel, se recuou a comentar as ações políticas de Puigdemont, com o argumento de que o caso dele deve ficar a cargo apenas das autoridades judiciais. Michel foi alvo de críticas de legisladores pelo modo como lida com a crise catalã e com o envolvimento da Bélgica no caso, após Puigdemont ir para Bruxelas. O ex-líder regional e quatro de seus aliados enfrentam pedidos de extradição para a Espanha. Michel disse que o governo da Espanha continua a ser um parceiro. "Nós temos um interlocutor e é o governo em Madri. É a Espanha", comentou.

O premiê espanhol, Mariano Rajoy, disse nesta quarta-feira que as eleições do próximo mês na Catalunha devem abrir "uma nova era política" na região, com a volta à normalidade e o respeito às leis nacionais. O líder conservador defendeu a intervenção de seu governo, após o governo local tentar decretar a independência. Rajoy destituiu autoridades separatistas catalãs, que enfrentam agora possíveis acusações por rebelião, entre outras, e dissolveu o Parlamento regional, além de convocar eleições antecipadas na região para 21 de dezembro. Fonte: Associated Press.

Grupo do Massa News no WhatsApp

Receba as principais notícias do dia direto no seu celular.

  Entrar no grupo