Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

Índia: número de mortes em acidente de trem sobe para 115

O número de mortes em acidente de trem na Índia subiu para 115, informou a polícia indiana. Socorristas trabalhavam durante a noite para retirar pessoas de vagões destruídos depois que um trem de passageiros descarrilou na madrugada deste domingo no norte do país.

O diretor-geral de polícia Daljeet Chaudhary disse que o número de mortos ainda deve aumentar, porque os trabalhadores de resgate ainda não tiveram acesso a um dos vagões mais danificados dos 14 que descarrilaram. Cerca de 150 pessoas ficaram feridas, conforme Chaudhary. O trem descarrilou às 3h10 do horário local. Sobreviventes e corpos foram retirados de vagões que despencaram para o lado dos trilhos.

Ramchandra Tewari, um passageiro que sofreu uma lesão na cabeça, disse que estava dormindo quando foi de repente jogado para o chão de seu vagão. "Houve um som alto como um terremoto. Eu caí do meu lugar e um monte de bagagens caiu sobre mim", disse Tewari a repórteres, em um hospital da cidade de Kanpur. Outro passageiro, Satish Kumar, disse que o trem estava viajando a velocidade normal quando parou de repente. "Ele reiniciou, e então ouvimos um estrondo", disse Kumar, cujo vagão permaneceu em pé na pista. "Quando saímos do trem, vimos que alguns vagões descarrilaram."

A causa do descarrilamento ainda não foi esclarecida. Os acidentes são relativamente comuns na extensa rede ferroviária da Índia, que é a terceira maior do mundo, mas não possui sistemas modernos de sinalização e comunicação. O impacto do descarrilamento foi tão forte que um dos vagões ficou em cima de outro, esmagando o que ficou embaixo, disse o brigadeiro Anurag Chibber, que estava dirigindo a equipe de resgate do Exército.

Javeed Ahmad, o chefe de polícia do Estado de Uttar Pradesh, onde o descarrilamento ocorreu, disse que 115 corpos foram recuperados dos destroços. O descarrilamento ocorreu perto da aldeia de Pukhrayan, nos arredores de Kanpur, uma cidade industrial cerca de 400 quilômetros a sudeste de Nova Délhi. O trem Patna-Indore Express, que liga a cidade indiana central de Indore à cidade de Patna no nordeste do país, completa sua viagem de 1.360 quilômetros em 27 horas.

Soldados e membros da força de gerenciamento de desastres da Índia chegaram a Pukhrayan dentro de uma hora do descarrilamento e começaram a retirar pessoas presas nos vagões descarrilados. As equipes médicas forneceram primeiros socorros perto do local, enquanto os mais gravemente feridos foram transferidos para hospitais em Kanpur, disse Chaudhary. Dos cerca de 150 feridos, 72 estavam em estado grave.

O ministro das Ferrovias, Suresh Prabhu, chegou ao local do acidente no domingo à noite (horário local) para monitorar as operações de resgate. Disse que um trem especial foi arranjado para levar os passageiros do trem descarrilado até Patna, de acordo com a agência de notícias PTI. Ele disse que milhares de pacotes de comida, garrafas de água e xícaras de chá estavam sendo fornecidos aos passageiros que aguardavam.

O primeiro-ministro da Índia, Narendra Modi, expressou sua preocupação com o descarrilamento. "Angustiado além das palavras com a perda de vidas devido ao descarrilamento do Patna-Indore Express. Meus pensamentos estão com as famílias enlutadas", disse Modi, em sua conta no Twitter.

Após o descarrilamento, vários trens que usam a mesma linha ferroviária foram desviados para outras rotas, disse Anil Saxena, porta-voz de Indian Railways, em Nova Délhi. Autoridades ferroviárias ordenaram uma investigação sobre o incidente, segundo Saxena. Fonte: Associated Press.