Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

Rússia, Turquia e Irã discutem termos para acordo de paz na Síria

(Foto: Reuters/Omar Sanadiki) - Rússia, Turquia e Irã discutem termos para acordo de paz na Síria
(Foto: Reuters/Omar Sanadiki)

Os líderes da Rússia, Turquia e Irã discutiram formas de promover uma resolução pacífica na Síria, incluindo o retorno de refugiados, ajuda humanitária e a troca de prisioneiros, enquanto grupos divididos da oposição síria se reuniam na Arábia Saudita para tentar superar as diferenças e formar um front unido para as negociações de paz em Genebra.

"Os militantes na Síria receberam um golpe decisivo e há uma chance real de pôr fim na guerra civil", disse o presidente russo, Vladimir Putin, no começo da reunião com as partes turcas e iraniana em Sochi, na Rússia.

Putin observou que uma resolução política dependerá de concessões de todas as partes, incluindo do governo do presidente sírio, Bashar al-Assad. Eles prometeram conduzir reformas constitucionais e realizar novas eleições a serem supervisionadas pela Organização das Nações Unidas (ONU).

Em um comunicado conjunto após as negociações, Putin, o presidente iraniano, Hassan Rouhani, e o presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, enfatizaram a necessidade de que todas as partes do conflito na Síria libertem todos os prisioneiros e reféns, entreguem corpos e busquem desaparecidos para ajudar a criar condições para um cessar-fogo duradouro e iniciar negociações políticas.

Eles também pediram para que outros países forneçam ajuda humanitária, retirem minas do território sírio e restaurem a infraestrutura vital que foi destruída pela guerra. "Chegamos em um consenso sobre ajudar na transação para um processo político inclusivo, livre, justo e transparente que será conduzida sob liderança e propriedade do povo sírio", disse Erdogan.

Embora Rússia e Irã tenham apoiado o governo Assad desde o começo do conflito sírio em março de 2011, enquanto a Turquia apoiava seus rivais, os três países se uniram para ajudar a mediar o acordo de paz.

Esses países patrocinaram várias rodadas de negociações entre o governo sírio e a oposição em Astana, no Casaquistão, e também concordaram em uma trégua entre o governo sírio e os rebeldes em quatro áreas, ajudando a reduzir as hostilidades.

Enquanto isso, o enviado da ONU para a Síria, taffan de Mistura, discursou na abertura do encontro de três dias da oposição síria em Riad, onde cerca de 30 grupos da oposição discutirão as negociações em Genebra. Ele disse que planejava duas rodadas de negociações em Genebra, em dezembro. De Mistura também viajará a Moscou nesta semana. Fonte: Associated Press.

Grupo do Massa News no WhatsApp

Receba as principais notícias do dia direto no seu celular.

  Entrar no grupo