Hospitais de Curitiba operam com UTIs lotadas

Os maiores hospitais de Curitiba estão operando no limite do atendimento nesta segunda-feira (1), com alta ocupação nos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

hospitais-curitiba-lotados
Foto: SESA

O fluxo intenso de pacientes que necessitam dos leitos foi observado durante todo o fim de semana. A assessoria do Hospital Cajuru confirmou ao Massa News que está com a lotação máxima e que há períodos de restrição de encaminhamentos, por causa da alta demanda de emergências.

O Hospital Evangélico Mackenzie também confirmou que todos os leitos de UTI estão ocupados, assim como o Hospital do Trabalhador, gerenciado pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesa).

Saúde do Paraná fala sobre lotação nos hospitais de Curitiba

Em nota, a Sesa confirmou a alta demanda nos hospitais da capital, mas ressaltou que pacientes são realocados para outras unidades quando não há vagas.

Veja a nota completa:

O Paraná possui um processo permanente de encaminhamento de pacientes de acordo com a demanda e a gravidade de cada caso – é a atuação do Complexo Regulador. No momento existe uma alta demanda de atendimento, mas caso não haja vaga em alguma unidade hospitalar, a Central de Regulação de Leitos faz o encaminhamento ou realocação do paciente para outras unidades.

O Paraná possui uma ampla rede hospitalar onde são concentrados os pedidos de transferência de pacientes entre os serviços de saúde. Este remanejamento de pacientes é comum e pode ocorrer dentro dos municípios que compõem as Macrorregiões ou entre as quatro Macros, de acordo com a disponibilidade do serviço, visando um melhor e pronto atendimento ao paciente. A Sesa reforça que os pacientes continuam sendo atendidos, sem que haja desassistência, até que essa transferência seja viabilizada, considerando a gravidade de cada caso e a disponibilidade do leito específico.

O Massa News também entrou em contato com a Prefeitura de Curitiba para um posicionamento sobre a alta demanda no SUS. A Administração municipal afirmou que monitora constantemente o fluxo do sistema e que no momento não é necessário colocar leitos de emergência em UPAs.

A Secretaria Municipal da Saúde (SMS) informa que o monitoramento do sistema de saúde é constante. Ele é modulado conforme a demanda, a gravidade e os tipos de problemas de saúde que surgem.
A SMS informa ainda que, neste momento, não está nos planos a conversão de UPA do município em unidade de internamento de leitos hospitalares de retaguarda.
O sistema é bastante dinâmico e Curitiba conta atualmente com 2.834 leitos SUS.

Entre no grupo do Massa News
e receba as principais noticias
direto no seu WhatsApp!
ENTRAR NO GRUPO
Compartilhe essa matéria nas redes sociais
Ative as notificações e fique por dentro das notícias
Ativar notificações
Dá o play plus-circle Created with Sketch Beta. Assista aos principais vídeos de hoje
Colunistas plus-circle Created with Sketch Beta. A opinião em forma de notícia
Alorino
Antônio Carlos
Claudia Silvano
Edvaldo Corrêa
Fabiano Tavares
Gabriel Pianaro
chevron-up Created with Sketch Beta.