Temporal estraga central telefônica do Samu em Curitiba; ligue 193

A rede telefônica do Samu voltou a funcionar em Curitiba e Região Metropolitana. Saiba mais em:

samu-fora-do-ar-curitiba
Foto: Arquivo/Guilherme Wille/Feas

Telefone do Samu volta a funcionar após ficar fora do ar

As fortes chuvas desta quinta-feira (23) deixaram a central telefônica do Samu fora do ar em Curitiba e Região Metropolitana.

Temporariamente, enquanto o 192 do Samu estiver fora do ar, moradores de Curitiba e outros 37 municípios atendidos pela central, que estejam em situação urgência e emergência, devem ligar para o número 193, do Corpo de Bombeiros.

A central dos bombeiros fará o atendimento inicial e, caso necessário, irá acionar a central do Samu para continuidade no atendimento.

Entre 7h e 22h, também é possível ligar para a Central Saúde Já Curitiba pelo (41) 3350-9000, que dará prioridade ao atendimento de urgência para apoio à Central do Samu metropolitano.

Fazem parte da área de atendimento do Samu Metropolitano os seguintes municípios: Adrianópolis, Agudos do Sul, Almirante Tamandaré, Antônio Olinto, Araucária, Balsa Nova, Bituruna, Bocaiúva do Sul, Campina Grande do Sul, Campo do Tenente, Campo Largo, Campo Magro, Cerro Azul, Colombo, Contenda, Cruz Machado, Curitiba, Doutor Ulysses, Fazenda Rio Grande, General Carneiro, Itaperuçu, Lapa, Mandirituba, Paula Freitas, Paulo Frontim, Piên, Pinhais, Piraquara, Porto Vitória, Quatro Barras, Quitandinha, Rio Branco do Sul, Rio Negro, São José dos Pinhais, São Mateus, Tijucas do Sul, Tunas do Paraná e União da Vitória.

Quando acionar o Samu

As equipes do Samu devem ser acionadas em casos que exigem chegar de forma rápida para prestar atendimento à vítima após alguma situação de urgência ou emergência que possa levar ao agravamento do quadro de saúde, sequelas ou morte.

A prioridade é prestar o atendimento ao cidadão no menor tempo possível, inclusive com o envio de médicos conforme a gravidade do caso. Veja alguns exemplos de quando ligar para o Samu:

  • problemas cardiorrespiratórios agudos;
  • Intoxicação exógena e envenenamento;
  • Queimaduras graves;
  • Trabalhos de parto em que haja risco de morte da mãe ou do feto;
  • Tentativas de suicídio;
  • Crises hipertensivas e dores no peito de aparecimento súbito;
  • Quando houver acidentes/traumas com vítimas;
  • Afogamentos;
  • Choque elétrico;
  • Acidentes com produtos perigosos;
  • Suspeita de Infarto ou AVC. Alteração súbita na fala, perda de força em um lado do corpo e desvio da comissura labial (canto da boca) são os sintomas mais comuns;
  • Agressão por arma de fogo ou arma branca;
  • Soterramento, desabamento;
  • Crises convulsivas;
  • Outras situações consideradas de urgência ou emergência, com risco de morte, sequela ou sofrimento intenso.
Entre no grupo do Massa News
e receba as principais noticias
direto no seu WhatsApp!
ENTRAR NO GRUPO
Compartilhe essa matéria nas redes sociais
Ative as notificações e fique por dentro das notícias
Ativar notificações
Dá o play plus-circle Created with Sketch Beta. Assista aos principais vídeos de hoje
Colunistas plus-circle Created with Sketch Beta. A opinião em forma de notícia
Alorino
Antônio Carlos
Claudia Silvano
Edvaldo Corrêa
Fabiano Tavares
Gabriel Pianaro
chevron-up Created with Sketch Beta.