Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

Acusados de matar adolescente por agressão vão a júri popular em março

(Foto: Colaboração radionajua.com.br) - Acusados de matar adolescente por agressão vão a júri popular em março
(Foto: Colaboração radionajua.com.br)

A Justiça marcou a data do Júri Popular dos acusados de matar o garoto Juziel Marcos Remes de Andrade em 2014. O julgamento foi marcado para o dia 7 de maio, às 9 h, no Tribunal do Júri do Fórum da Comarca de Irati.

A marcação da data era aguardada desde a realização das audiências de instrução sobre o caso, que aconteceram nos dias 17 e 23 de setembro de 2014. Na oportunidade, além do interrogatório dos réus, foram ouvidas testemunhas de acusação e defesa.

Os três réus chegaram a receber liberdade provisória em 2015, quando o Tribunal de Justiça do Paraná (TJ-PR) concedeu habeas corpus por considerar que a prisão preventiva deles havia se estendido por um período desproporcional (em torno de 16 meses). Na ocasião, o TJ-PR determinou a aplicação de medidas cautelares contra os acusados. Porém, Luiz Fernando voltou a ser detido em 12 de dezembro de 2017 depois que o habeas corpus foi revogado. Atualmente, ele segue preso na Delegacia de Irati. Marcelo e Clebinho estão soltos.

Relembre o caso

Juziel que na ocasião tinha 17 anos foi encontrado morto a pedradas na manhã de 24 de março de 2014 em um terreno baldio na Avenida Vicente Machado, em Irati. Antes do ocorrido, ele foi visto pela última vez em uma festa open bar, no sábado, 22 de março.

Na época, imagens de câmeras de segurança obtidas pela Polícia Militar mostravam que o adolescente teria sido perseguido por outros três jovens por volta das 5 horas de domingo, 23 de março, pelas ruas da área central. Policiais Militares realizaram buscas durante todo o dia. Entretanto, o corpo de Juziel foi encontrado somente na manhã de segunda-feira, 24 de março, com sinais de agressão. Pertences do adolescente foram encontrados em uma construção abandonada. Já o corpo dele apresentava ferimentos na cabeça e no rosto.

O caso gerou comoção pública e manifestações para que fosse agilizada a aprovação de uma portaria que regulamenta a permissão de entrada de menores de idade em casas noturnas, o que está em vigor atualmente.

Após cinco dias de intenso trabalho de investigação a polícia capturou os três suspeitos do crime no dia 28 de março.

O Ministério Público denunciou os suspeitos por homicídio qualificado por motivo fútil, por meios cruéis e sem chance de defesa da vítima. A defesa chegou a requerer a reconstituição do crime, mas o pedido foi negado pela Justiça.

Colaboração radionajua.com.br

Grupo do Massa News no WhatsApp

Receba as principais notícias do dia direto no seu celular.

  Entrar no grupo