Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

Adolescente esfaqueia professor em sala de aula e foge da polícia

(Foto: Colaboração/Arquivo Pessoal) - Adolescente esfaqueia professor em sala de aula e foge da polícia
(Foto: Colaboração/Arquivo Pessoal)

Um adolescente de 14 anos esfaqueou o próprio professor depois de um desentendimento na Escola Estadual de Formosa de Oeste, na região Oeste do Paraná. O caso foi registrado por volta das 15h desta terça-feira (23).

Ao Massa News, a Polícia Civil (PC-PR) do município explicou que o jovem fugiu da escola logo depois de cometer o delito. Ele foi encontrado por volta das 16h pela Polícia Militar (PM-PR). O adolescente foi levado à delegacia e, até o final da tarde desta terça, ainda aguardava o registro do flagrante e a definição se ficará apreendido em algum Centro Socioeducativo (Cense).

Aos investigadores, o jovem infrator falou que tinha problemas pessoais com o professor da disciplina de português há alguns meses.

A agressão

Ainda de acordo com a Polícia Civil, o garoto usou uma faca comum que estava sem fio. Os cortes foram superficiais e o professor foi levado para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) mais próxima.

A vítima não corre riscos.

Atualização

Em nota, a Secretaria da Educação do Paraná se pronunciou sobre o caso. Veja na íntegra: 

"A Secretaria da Educação do Paraná informa que tomou conhecimento de que um professor do Colégio Estadual Antonio Franco Ferreira da Costa, localizado no município de Formosa do Oeste, sofreu ferimentos que teriam sido provocados por um aluno. A equipe diretiva do colégio tomou todas as medidas necessárias imediatamente, tendo acionado o Núcleo Regional de Educação de Assis Chateaubriand, o Batalhão da Patrulha Escolar Comunitária (BPEC), a polícia e o Conselho Tutelar. O professor recebeu atendimento médico e não corre riscos. O caso e as circunstâncias do ocorrido serão apurados pela Polícia Civil.
A Secretaria da Educação lamenta o ocorrido e acompanha o caso por meio do NRE e da Ouvidoria, que prestam apoio e orientações ao professor, aos funcionários da escola, aos pais e aos alunos."