Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

Agentes de Endemias realizam bloqueio educativo em Londrina

(Foto: Divulgação) - Agentes de Endemias realizam bloqueio educativo
(Foto: Divulgação)

A fim de chamar a atenção da população e de empresários de Londrina para os cuidados preventivos à dengue, os agentes municipais de endemias realizarão na próxima semana vários ações de bloqueio educativo.

A primeira delas será na segunda-feira (5), às 14 horas, no Centro de Convivência da Pessoa Idosa da Região Leste (CCI-Leste), que fica na Rua Gabriel Matokanovic, 260, no Jardim da Luz. A ação é aberta às pessoas com mais de 60 anos que participam das atividades do centro e àqueles que desejam tirar dúvidas sobre as medidas preventivas e de combate à dengue.

Na terça-feira (6), os educadores em endemias vão ministrar palestras e rodas de conversas com empresários e colaboradores de empresas localizadas na zona sul, em especial, nas Indústrias Leves (PIL). A primeira empresa a receber os agentes será a La Casa (Rua Condor, 716), às 7 horas. Cerca de 50 funcionários participarão da palestra sobre a dengue, zika vírus, febre chikungunya e febre amarela.

Na sequência, às 7h30, os agentes conversarão com 12 funcionários da Gráfica Leal, na Rua Pinguim, 55. Às 9 horas, eles irão à Confepan (Rua Condor, 485) realizar uma roda de conversa com 20 colaboradores; assim como farão, às 9 horas, com quatro colaboradores da Renato recapagem. Outros 50 profissionais da Valle Expositores (Rua Condor, 637) também conversarão com os técnicos da Secretaria de Saúde.

Segundo a educadora em endemias, Lucimara Vasconcelos, a intenção é chamar a atenção dos trabalhadores e população daquela região para os cuidados com o Aedes aegypti, pois segundo dados do 4º Levantamento Rápido de Infestação do Aedes aegypti (LIRAa) houve um alto índice de casos confirmados de dengue.

“Queremos conscientizar os trabalhadores e os empresários para o período de recesso de fim de ano, pois é uma época em que os prédios e casas ficam fechados e se esquecerem objetos que acumulem água em locais descobertos, o risco de proliferação do mosquito aumenta muito e, em consequentemente, o número de casos confirmados”, explicou Lucimara.

(com informações do Núcleo de Comunicação da Prefeitura de Londrina)