Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

Após bilhete com ameaças, UEPG aciona polícia e diz que vai melhorar segurança

(Foto: Divulgação) - Após ameaças, UEPG aciona polícia e diz que vai melhorar segurança
(Foto: Divulgação)

A Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG) afirmou, nesta quinta-feira (21), que vai reforçar a segurança interna da instituição. A medida foi tomada depois que um bilhete com ameaças aos estudantes foi encontrado no banheiro do campus Uvaranas.

Em nota, a reitoria da instituição afirmou que acionou a Polícia Civil e que também vai reforçar a vigilância interna da universidade. De acordo com a UEPG, dois investigadores da Polícia Civil trabalham no caso e tentam encontrar o responsável pela carta.

As câmeras de segurança do local estão sendo analisadas para confirmar a identidade do suspeito.

Alunos com medo

Uma fotografia do bilhete, que foi divulgada nas redes sociais, assustou a comunidade acadêmica da UEPG. Em uma folha, o autor declarou que “em dois anos e meio, a cidade vai conhecer a maior execução de alunos já vista no mundo”. O bilhete também faz referência aos atentados de Suzano e da Nova Zelândia e afirma que os casos foram apenas o começo.

A estudante do curso de Farmácia da UEPG, Ana Júlia Sterack, contou que recebeu a carta de ameaças em um grupo, pelo WhattsApp. De acordo com a universitária, os alunos ainda não sabem o que fazer.

“Eu e meus amigos estamos muito assustados. Mesmo com as ameaças, continuamos frequentando as aulas normalmente. Mas o medo deixa a gente acreditar que algo pode acontecer de verdade”, declarou a estudante.

O reitor, professor Miguel Snaches Neto, pediu calma aos alunos e também agradeceu o atendimento da polícia. A UEPG dará uma entrevista coletiva para esclarecer o caso na tarde desta quinta-feira (21).

Colaboração Stiven Souza/Rede Massa