Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

Câmera de segurança registra briga durante ocupação na UEPG

Imagens do sistema de monitoramento do prédio da reitoria da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG) registraram a troca de agressões que aconteceu no fim da manhã desta quarta-feira (19) durante a ocupação da instituição. O vídeo mostra o chefe da Procuradoria Jurídica da UEPG, João Irineu, e alguns estudantes trocando chutes e socos instantes após a entrada dos alunos no prédio.

Irineu chegou a registrar boletim de ocorrência por ameaça, dano (crimes contra o patrimônio) e lesão corporal. Em nota encaminhada à imprensa ontem, o movimento Resistência Estudantil UEPG informou que não houve agressão, acusa os funcionários da UEPG de violência e diz que houve manipulação nos vídeos divulgados anteriormente. Veja a íntegra da nota:

Não nos surpreende a reação manipuladora da imprensa comercial e da Administração da Universidade. A mentira é a primeira arma daqueles que fogem do debate político e partem para a criminalização de qualquer movimento social. Com a greve estudantil da UEPG não foi diferente. Cabe a nós esclarecer os fatos e pedir para que a verdade do momento da ocupação seja amplamente divulgada.

1. O prédio da reitoria é público e, no momento da ocupação, às 11h desta quarta-feira (19), deveria estar com as portas abertas para toda a comunidade. Proibir nossa entrada foi um ato autoritário e ilegítimo da reitoria.

2. A porta trancada, ilegalmente, foi retirada de forma adequada para nossa entrada e em seguida foi consertada.

3. Funcionários da reitoria danificaram intencionalmente porta do elevador que da acesso a garagem, pois o reitor e funcionaria da limpeza estavam presos no local. Há vídeos e fotos que comprovam esse comportamento.

4. Funcionários da reitoria foram violentos com os estudantes. De nossa parte, não houve qualquer iniciativa de agressão. O vídeo que supostamente comprova violência contra um funcionário está sendo maldosamente manipulado. É nítido que o que houve de fato foi um escorregão. Este mesmo servidor tentava impedir a entrada dos alunos desferindo socos.

Convidamos a todos que disseminaram essas mentiras pelas redes sociais para reverem suas posições, incluindo a mídia comercial. A manipulação não vai prevalecer!