Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

Carteira de cabeleireiro morto foi encontrada no Terminal do Portão

(Foto: Lucian Pichetti/ Rede Massa) - Carteira de cabeleireiro morto foi encontrada no Terminal do Portão
(Foto: Lucian Pichetti/ Rede Massa)

A carteira do cabeleireiro Marcos César Milleo, 61, encontrado morto nesta quarta-feira (15) no apartamento em que morava, no bairro Água Verde, em Curitiba, foi descartada próximo ao Terminal do Portão. Os documentos e o cartão profissional da vítima foram localizados ainda na terça-feira (14), e entregues no salão em que o cabeleireiro trabalhava, no bairro Batel.

Funcionários do estabelecimento contaram à reportagem da Rede Massa que Marcos sempre folgava no domingo e na segunda-feira – dia em que foi visto pela última vez. Porém, na terça, o homem não apareceu para trabalhar e sua carteira – que estava sem dinheiro – foi entregue no salão após ser encontrada próximo ao terminal. Os funcionários, então, pensaram que o cabeleireiro havia sido vítima de um assalto e, por isso, não tinha ido trabalhar naquele dia.

Os colegas da vítima começaram a estranhar a situação quando Marcos não apareceu para trabalhar nesta quarta-feira. Desta forma, uma funcionária decidiu ir até o condomínio em que ele morava, no bairro Água verde e relatou que, junto com o síndico e outros vizinhos, contratou um chaveiro para abrir a porta do apartamento, que estaria trancada. Ao entrar no imóvel, o chaveiro teria encontrado o cabeleireiro morto em cima da cama, com um corte profundo no nariz.

Contradições

Uma vizinha de Marcos, porém, contou à polícia que a porta do local estava aberta na terça, o que lhe causou um estranhamento. “Quando eu saí pela manhã para levar meu cachorrinho fazer xixi, eu vi a porta aberta, e geralmente na terça não fica aberta. Geralmente na segunda-feira, quando ele está de folga, faz limpeza ali e deixa fechada, então já houve a impressão de que algo estranho estava acontecendo”, relatou a mulher, que disse não ter ouvido nenhum pedido de socorro.

De acordo com o delegado Tito Barrichello, da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), Marcos não estava na cama como afirmou a funcionária, mas sim caído ao lado de um criado-mudo, o que também pode indicar a possibilidade de uma morte acidental. “O apartamento estava revirado e vamos verificar qual foi a causa da morte. O corpo estava caído e esse corte [no nariz] pode advir de ação externa, violência, ou de uma queda na quinta do criado mudo, que estava ao lado de onde o corpo caiu”, detalhou.

Além disso, imagens de câmeras de segurança do condomínio flagraram a vítima entrando no apartamento na segunda-feira (13) à tarde, acompanhada de um rapaz, que carregava uma sacola com marmita. A refeição foi encontrada intacta dentro do apartamento, após Marcos ser encontrado morto. “Entrou com uma pessoa e essa pessoa acaba saindo em momento posterior, sozinha”, completou o delegado. De acordo com vizinhos, era comum o cabeleireiro levar rapazes diferentes para o apartamento.

O caso segue sendo investigado pela DHPP.

Colaboração Bruna Froehner e Lucas Rocha/Rede Massa

Grupo do Massa News no WhatsApp

Receba as principais notícias do dia direto no seu celular.

  Entrar no grupo