Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

Casal que matou homem a marretadas é preso

(Foto: Colaboração/Diógenes Gonçalves/Tribuna do Vale) - Casal que matou homem a marretadas é preso
(Foto: Colaboração/Diógenes Gonçalves/Tribuna do Vale)

A polícia de Ribeirão Claro prendeu Viviane Pereira de Souza Jangrossi, 34 anos e Alexandro Soares de Moraes, 19, que confessaram o assassinato de Adilson José de Souza, 34 anos, conhecido popularmente como Didi. O crime ocorreu no último domingo (16), por volta das 20 horas próximo ao Centro Municipal de Eventos, localizado a cerca de dois quilômetros do perímetro urbano. O mandado de prisão foi expedido pela justiça após investigação conduzida pela delegada Patrícia Cavalari Bocamino Taborda.

O crime foi planejado com antecedência pelo casal e executado com requintes de crueldade, que depois de preso confessou que matou a vítima porque estaria assediando Viviane. Os depoimentos colhidos pela delegada durante inquérito dão conta de que a vítima foi levada por Viviane de carro até o local do crime onde foi morta por ela e o namorado a marretadas. Adilson foi apanhado em sua residência e saiu sem levar carteira, documentos, celular ou quaisquer objetos pessoais. O rosto da vítima estava completamente desfigurado e o corpo teve que ser reconhecido pelas tatuagens e outras características.

O corpo foi encontrado na segunda-feira (17), por volta das 14h por um funcionário público da prefeitura de Ribeirão Claro que passava pelo local. As autoridades foram informadas e o Instituto Médico Legal foi até o local para retirar o corpo, conduzido até uma funerária, onde foi feito o reconhecimento por familiares.

A Polícia Civil chegou até os suspeitos por informações dadas por testemunhas, que viram o jovem no carro conduzido por Viviane perto da hora do crime. Informações colhidas durante as diligências revelaram que a vítima vinha sofrendo ameaças de morte feitas pela suspeita nas últimas semanas e que os desentendimentos entre os dois eram frequentes. Segundo pessoas ouvidas pela delegada, Viviane e Adilson já tiveram um relacionamento amoroso.

De acordo com a delegada Patrícia Cavalari Bocamino Taborda, outra pista que levou à elucidação do caso foi a arma usada no crime, uma marreta. “O suspeito Alexandro Soares de Moraes trabalhava como pedreiro e descobrimos que a arma do crime era dele”, afirmou.

Segundo ela, o casal já confessou o crime e segue preso na carceragem da delegacia de Ribeirão Claro a disposição da justiça. “Viviane declarou no depoimento que resolveu matar a vítima junto com o marido porque se sentiu incomodada com supostas investidas feitas por ele”, revelou. “Os dois continuarão presos até o início do julgamento por homicídio qualificado”, concluiu.

Colaboração Tribuna do Vale