Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

Caso jogador Daniel: Testemunhas estão na mesma cela que Brittes

(Foto: Reprodução) - Caso jogador Daniel: Testemunhas estão na mesma cela que Brittes
(Foto: Reprodução)

Quatro denunciados pela morte do jogador Daniel Corrêa Freitas estão juntos na Casa de Custódia de São José dos Pinhais. Para a Ordem dos Advogados do Brasil no Paraná, a situação representa um risco à vida das testemunhas do crime cometido por Edison Brittes, autor confesso do homicídio.

Eduardo Henrique Ribeiro da Silva, David Willian Villero Silva e Igor King, que além de testemunhas também foram indiciados pelo crime, estão na mesma cela de Brittes. O espaço tem apenas 12 metros quadrados e a situação pode representar uma ameaça para a vida dos presos.

“Não é salutar que nenhuma pessoa detida permaneça no mesmo espaço que outra que a atenha ameaçado de alguma forma, seja contra sua integridade física, seja contra sua integridade moral”, comentou o presidente da comissão de direitos humanos da OAB Paraná, Alexandre Salomão. “Efetivamente essas ameaças podem gerar sério risco de vida a essas pessoas”, completou. “Lógico que as pessoas devem permanecer separadas, existe o risco de combinarem versões”, alertou Salomão.

Em depoimento, David e Igor afirmaram que foram ameaçados por Edison Brittes durante e depois do crime, além de terem sido procurados para combinar uma versão. “Dado o que presenciaram, o que puderam presenciar, sem sombra de dúvidas, o temor sempre existiu e ainda, até nos dias atuais, existe”, comentou um dos advogados de David e Igor, Robson Domacoski.

Salomão afirmou ainda que a OAB irá denunciar a situação e pretende encaminhar um ofício para o Departamento Penitenciário do Paraná (Depen) para solicitar a remoção das testemunhas da mesma cela de Edison Brittes.

Colaboração Rede Massa