Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

Cofundador do Comando Vermelho preso no Paraná é alvo de operação

(Foto: Polícia Civil do Mato Grosso)  - Cofundador do Comando Vermelho preso no Paraná é alvo de operação
(Foto: Polícia Civil do Mato Grosso)

Renildo Silva Rios, considerado um dos cofundadores do Comando Vermelho no Mato Grosso, foi um dos alvos da Operação 10º Mandamento, deflagrada pela Polícia Civil do Mato Grosso na manhã desta quarta-feira (14), contra membros de facções criminosas. Rios está preso na Penitenciária Federal de Catanduvas, e recebeu um mandado de prisão que pode aumentar sua pena.

De acordo com a Polícia Civil de Mato Grosso, 38 mandados de prisão e 13 de busca foram cumpridos, sendo que o suspeito mais perigoso é detento em um presídio federal em Catanduvas. Rios foi transferido para o Paraná em 2014, na tentativa de diminuir seu vínculo com outros integrantes do Comando Vermelho. Ele está preso por organização criminosa, tráfico de drogas e associação para o tráfico de drogas. Com o novo mandado contra ele, sua pena deve aumentar.

Este foi o único mandado expedido para o Paraná, mas a operação também abrange o Mato Grosso e Goiás. A operação é resultado de investigações da Delegacia Regional de Barra do Garças, por meio do Núcleo de Inteligência, e da Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO), para combater a suposta facção criminosa que atua no interior de presídios do Estado do Mato Grosso.

As investigações iniciaram na cidade de Barra do Garças (MT), quando suspeitos incendiaram viaturas do Sistema Socioeducativo em uma ação orquestrada por uma organização criminosa. “Começamos a trabalhar monitorando essas pessoas. Percebemos que havia conexão entre os integrantes da organização criminosa, obedecendo à hierarquia. Depois descobrimos que se tratava dessa organização criminosa, quando foi declinada a competência para Vara do Crime Organizado”, detalhou o delegado regional de Barra do Garças, Adilson Gonçalves.