Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

Com sangue, Edison trocou de roupas após matar Daniel para se livrar de provas

(Foto: Reprodução) - Com sangue, Edison trocou de roupas após matar Daniel
(Foto: Reprodução)

Para destruir as provas do crime, Edison Brittes, assassino confesso de Daniel Corrêa Freitas, trocou de roupa antes de voltar para casa, em São José dos Pinhais, após matar o jogador, no dia 27 de outubro.

Leia mais: Seis envolvidos em morte de jogador serão indiciados por homicídio qualificado

De acordo com o delegado responsável pelo caso, Amadeu Trevisan, o suspeito ficou com as mãos e a vestimenta cobertas com o sangue da vítima e, no caminho para sua residência, parou em uma loja e mandou David Willian Vollero Silva, acusado de ter ajudado a espancar Daniel, a comprar roupas novas.

Leia também: Faca de churrasco: arma usada para decepar pênis tinha cerca de 30cm

Depois disso, Edison teria jogado o material ensanguentado, e a faca usada para decepar o pênis de Daniel, em um córrego. Em seu depoimento, Allana chegou a comentar que deu um abraço no pai, Edison, quando ele chegou em casa depois de sair com o jogador no porta-malas do veículo, e disse que ele não estava sujo com sangue.

Leia: "Minha vida virou um inferno": Cris e Allana prestam depoimento; Edison ainda não foi ouvido