Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

Combate ao tribunal do crime: presa tinha alto poder de decisão

A Polícia Civil deflagrou na manhã desta quinta-feira (11) em Paranaguá no Litoral do Estado, a terceira fase da Operação Adsumus, de combate a uma organização que seria responsável por um ‘tribunal do crime’ ligado a uma facção criminosa.

Foram expedidos 8 mandados de prisão que devem ser cumpridos pelos 60 policiais que participam da ação.


O delegado Nilson Diniz da 1ª Subdivisão Policial explica que os alvos da ação são suspeitos de integrar o chamado ‘tribunal do crime’, que julga, condena e executa a ‘pena’ imposta a traficantes e integrantes do grupo criminosos que não cumprem as regras da facção criminosa. “Eles mantêm estes conselhos de disciplina para manutenção da ordem dentro da fação”, diz.

 Conforme o delegado, os alvos desta ação são responsáveis por pelo menos dois crimes de homicídios registrados em Paranaguá recentemente.

Entre os presos, uma mulher que de acordo com Diniz seria ‘bem importante’ dentro da organização. “Ela tem um nível hierárquico alto, tem voz ativa e alto poder decisório sobre a vida das vítimas”, comenta. “Ela sentencia mesmo e manda executar”.

Combate ao tribunal do crime: presa tinha alto poder de decisão

Nome

O nome Adsumus significa ‘estamos presentes’ e de acordo com o delegado, a ação deverá contar com outras fases.

Colaboração Bruna Froehner/Élbio Tavares/Rede Massa

Grupo do Massa News no WhatsApp

Receba as principais notícias do dia direto no seu celular.

  Entrar no grupo