Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

Concessionária com sede em Londrina repassou R$ 1,2 milhão para investigado na Lava Jato

(foto: Odair Fernandes/Rede Massa) - Concessionária  repassou R$ 1,2 milhão para investigado na Lava Jato
(foto: Odair Fernandes/Rede Massa)

A concessionária de pedágio Econorte, com escritório sediado na zona norte de Londrina, foi alvo de mandado de busca e apreensão da Polícia Federal na 36ª fase da Operação Lava Jato, deflagrada na manhã desta quinta-feira (10).

Segundo o procurador da República e integrante do Ministério Público Federal na força-tarefa da Operação Lava Jato, Roberson Pozzobon, a empresa teria repassado R$ 1,2 milhão ao escritório  do advogado Rodrigo Tacla Duran, um dos operadores financeiros especializados na lavagem de capitais de grandes empreiteiras envolvidas na Lava Jato.

"São depósitos milionários, montantes significativos cuja natureza ainda deverá ser esclarecida. Não podemos ainda formar um juízo de valor porque a documentação foi apreendida e será analisada em seguida. A finalidade é coletar provas para maturação das investigações", afirmou Pozzobon em entrevista coletiva na sede da Polícia Federal em Curitiba.

Além da Econorte, foram encontrados repasses de R$ 2,1 milhões da Triunfo e R$ 1,5 milhão da Triunfo participações, todas empresas do mesmo grupo, entre os anos de 2011 e 2013.

Em nota, a Triunfo Econorte informou que desconhece qualquer ligação entre a empresa e a operação, e informa também que está colaborando com as autoridades para o andamento dos trabalhos.

As investigações chegaram até as empresas após o levantamento de informações sobre outras empreiteiras investigadas na Lava Jato relacionadas com Rodrigo Tacla Duran e Adir Assad. Os repasses das empresas aos investigados chega a R$ 50 milhões.