Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

Dois morrem e dois são presos em confrontos com a PM; situação durou toda a noite

Dois morrem e dois são presos em confrontos com a PM

Duas pessoas morreram e duas foram presas em dois confrontos com a Polícia Militar (PM) entre a noite desta segunda (15) e o início da manhã desta terça-feira (16), na região da Estrada das Onças, em Mandirituba. Os suspeitos planejavam um assalto a uma chácara, e foram surpreendidos pelos policiais.

O pelotão da Rondas Ostensivas de Natureza Especial (RONE) foi ao endereço em que o assalto seria realizado e, enquanto os moradores eram orientados, policiais posicionados nos fundos da residência encontraram os suspeitos tentando invadir o local. A quadrilha, que portava armas longas, coletes e toucas balaclavas, entrou em confronto com a equipe.

Os suspeitos fugiram para um matagal próximo ao local, mas durante a troca de tiros um suspeito foi atingido e outro abandonou uma espingarda calibre 12, com quatro munições intactas. Com a participação de outra equipe, o veículo que seria usado na fuga foi abordado e uma mulher foi detida. Com a suspeita foi apreendido um revólver calibre .32, com cinco munições intactas e uma munição deflagrada.

As buscas pelos demais suspeitos seguiu por toda a noite e, no início da manhã desta terça-feira, outro confronto foi registrado no local. Duas pessoas, de 20 e 24 anos, foram atingidas e morreram no local e outro suspeito foi preso pela equipe. "Escutamos um tiro, aí passou mais um tempo e escutamos mais três tiros, e aumentou o número de policial ali. Pensei se algo aconteceu e logo pensei na chácara vizinha. Acabou a tranquilidade, o sossego... não tem mais segurança", comentou um morador da região.

Policiais do Centro de Operações Policiais Especiais (COPE), do Comando e Operações Especiais (COE), do Batalhão de Operações Policiais Especiais (BOPE) e da RONE seguem na região, pois há a suspeita de que um quinto envolvido esteja foragido.

Colaboração Juliana Rodrigues/Rede Massa