Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

Família "luta contra o tempo" para custear cirurgia de menino diagnosticado com síndrome rara

(Foto: Arquivo Pessoal) - Família "luta contra o tempo" para custear cirurgia de menino
(Foto: Arquivo Pessoal)

Uma luta contra o tempo: este é o desafio que os familiares do pequeno Gabriel, diagnosticado com uma síndrome rara e degenerativa, têm que enfrentar para conseguir custear a cirurgia do menino, que só pode ser realizada na Espanha. Com apenas três anos, o garoto é portador da Síndrome de Chiari Tipo I e, caso não opere, pode perder os movimentos do corpo de forma imediata.

A síndrome – descoberta em setembro de 2018 – consiste em uma má-formação no crânio que, no caso de Gabriel, gerou um espaçamento de 9mm. “O normal é não ter esse espaçamento. Um crânio normal tem um pequeno espaço somente para passar o líquido da cabeça para a espinha, e ele tem esse espaçamento maior, onde cai o cerebelo ali”, explicou a mãe do menino, Bruna Rodrigues.

Com esta condição, o menino – que já apresenta alguns sintomas – corre o risco de perder todos os movimentos do corpo de uma hora para a outra. “Ele já tem alguns sintomas como a fala... fala muito pouco, tem apneia do sono, também tem problema na deglutição e não consegue comer nada que não seja pastoso. Ele cai muito, tem fraqueza muscular”, disse. O caso preocupa a família, que classifica a situação do menino como uma “luta contra o tempo”. “A gente está bastante preocupado, pois é uma corrida contra o tempo. De uma hora para a outra ele pode ficar sem andar, perder os movimentos”, desabafou Bruna.

A solução para o caso de Gabriel seria uma cirurgia complexa, que só é realizada em Barcelona, na Espanha, e custa mais de R$ 90 mil. “Nessa cirurgia é feita uma pequena abertura na coluna dele, e fazendo essa abertura eles vão na raiz do problema e podem fechar o espaçamento. A gente fez o orçamento [da cirurgia] em janeiro e ele é válido por seis meses, então temos que correr para conseguir operar”, relatou. Além disso, Gabriel precisará permanecer por 30 dias no território espanhol, pois deve ser acompanhado pela equipe médica após a cirurgia.

Para arrecadar a quantia, Bruna afirmou que já foram feitos bingos, rifas e até mesmo leilões, mas ainda falta um longo caminho até alcançar o valor necessário para custear toda a viagem e a operação. “É um valor muito alto e nós não temos condições, não temos imóvel ou carro para vender, estamos morando com minha irmã para economizar no aluguel, não está sendo fácil. Estamos lutando para conseguir levar ele para a cirurgia, se a gente conseguir isso, o resto nós damos jeito”, garantiu.

De acordo com Bruna, qualquer ajuda é bem-vinda. Além de doações por meio de uma vakinha online criada pela família, quem tiver interesse pode contribuir com hospedagem em Barcelona ou passagens para os familiares levarem Gabriel até a cirurgia. O valor estimado para cobrir todas as despesas é de R$ 150 mil.

Grupo do Massa News no WhatsApp

Receba as principais notícias do dia direto no seu celular.

  Entrar no grupo