Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

Foz: primeiro abatedouro de aves caipiras começa a funcionar em janeiro de 2017

Colaboração: Assessoria. - Foz: 1º abatedouro de aves caipiras começa a funcionar em janeiro
Colaboração: Assessoria.

Há mais de um ano que o projeto do Município de  ter um abatedouro de frango caipira vem sendo esperado pelos produtores rurais da cidade e da região. Idealizado por um agricultor que acreditou na força que este setor tem em Foz do Iguaçu e pelos técnicos da secretaria de Agricultura que juntos realizaram todas as tratativas para que desse certo.

O investimento foi todo feito de forma privada, pois o abatedouro foi construído em área particular do produtor Joaquim Mendes que tinha neste projeto um sonho de vida. Porém, o município de Foz do Iguaçu, por meio da secretaria de Agricultura, deu o suporte desde o início com a terraplanagem do terreno, avaliação de manejo e acompanhamento técnico de vigilância e inspeção sanitária. 

O abatedouro será o primeiro de Foz do Iguaçu a abater frango caipira em linha automatizada. Foi construído para atender produtores rurais da cidade e da região, com capacidade de abater entre 1.000 a 1.500 aves por dia, mas inicialmente tem previsão de abate de 500 aves/dia.

A área compreende salas de escritório e as salas de processo da linha automatizada, com apanho, pendura, sangria, escaldagem e decapagem. Além das salas de finalização. 

O projeto compreende o abate unitário seguindo todas as normas federais, para isso, os investidores aguardam a liberação do Estado para poder dar início à produção. A previsão de funcionamento é a partir de janeiro de 2017. 

“O município está dando todo apoio necessário, desde o processo de montagem do projeto, para incentivar a produção de frango caipira na cidade, promovendo o incentivo à agroindústria automatizada”, ressaltou a prefeita Ivone Barofaldi. 

“É um grande empreendimento e que certamente irá mudar a realidade de muitos produtores rurais que produzem frango caipira em suas propriedades e que não têm a oportunidade de abater aqui mesmo na cidade. Estamos dando todo apoio ao seu Joaquim que investiu na construção do abatedouro, mas visando o benefício de centenas de agricultores que dependem desse tipo de produção e que poderão, a partir do ano que vem gerar mais lucros com o frango caipira”, disse o secretário municipal de Agricultura, Eduardo Spada.

Colaboração: Assessoria.