Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

Homem que matou ex-sogro com barra de ferro é condenado a cinco anos de prisão

(Foto: Colaboração/Rede Massa) - Homem que matou ex-sogro com barra de ferro é condenado a cinco anos
(Foto: Colaboração/Rede Massa)

O homem acusado de matar o ex-sogro com golpes de ferro, no dia 24 de dezembro de 2016, foi condenado nesta quinta-feira (7) a cinco anos de prisão, em regime semiaberto, em Curitiba. O crime aconteceu no bairro Sítio Cercado e, para a defesa, se tratou de legítima defesa – tese não aceita pelo júri.

Cleberson Ferreira Pulucas teria brigado com o ex-sogro, Valdir Domiciano, por conta da guarda do filho que o acusado tem com a ex-mulher. Com esta condenação, o homem irá usar tornozeleira eletrônica por menos de um ano – além de cumprir outros requisitos – e, em seguida, cumprirá o restante da pena em liberdade. Porém, ainda cabe recurso.

Para o promotor Lucas Cavini Leonardi, a pena para o caso foi justa, pois desde o início o Ministério Público do Paraná (MP/PR) entendeu que não havia qualificadora. “Neste caso, a pena máxima seria de seis anos. Claro que houve uma grande briga entre a vítima e o réu, os jurados entenderam que o acusado estava dominado por uma violenta emoção, por isso causou esse crime. Por esse lado, porém, os jurados afastaram a legítima defesa, que era a principal tese da defesa”, detalhou.

Desta forma, o promotor afirmou que o MP não irá recorrer da condenação. Já a defesa de Cleberson, porém, ainda quer reduzir a pena para regime aberto. “Ele não tinha a intenção de matar. Os jurados, apesar de reconhecerem que houve sim o crime, isso é inevitável, mas que ele agiu impelido de violenta emoção, mediante injusta provocação da vítima, o que reúne os requisitos para que venha a condenação justa por homicídio privilegiado”, afirmou a advogada Cleonice Silva.

O objetivo da defesa é fazer com que Cleberson não precise usar a tornozeleira eletrônica.

Colaboração Ricardo Pereira/Rede Massa

Grupo do Massa News no WhatsApp

Receba as principais notícias do dia direto no seu celular.

  Entrar no grupo