Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

Hospital da Zona Norte ganha mais leitos e tomógrafo digital

(foto:  Arnaldo Alves / ANPr) - Hospital da Zona Norte ganha mais leitos e tomógrafo digital
(foto: Arnaldo Alves / ANPr)

O governador Beto Richa inaugurou nesta quinta-feira (8) os 17 novos leitos do Hospital Zona Norte de Londrina. A obra de reforma e ampliação, no valor de R$ 200 mil, remodelou duas enfermarias e trouxe mais conforto e segurança aos pacientes atendidos no Pronto Socorro.

O espaço é composto por 15 leitos de internamento e dois de isolamento, além de um novo posto de enfermagem. "Estamos fazendo uma grande reestruturação na área da saúde. Obras por todo o Estado e isso tudo para levar atendimento de qualidade para mais perto das pessoas", declarou o governador.

Com a ampliação, o hospital passa a ter 115 leitos gerais e se consolida como referência em urgência e emergência. São pelo menos 5,5 mil atendimentos por mês. A Secretaria de Estado da Saúde já planeja uma nova obra na unidade. "O projeto é construir um prédio anexo, que abrigaria 30 leitos de UTI, almoxarifado e o setor de farmácia. A obra está estimada em R$ 12 milhões", informou o secretário da Saúde, Michele Caputo Neto.

O governador entregou um novo tomógrafo digital ao hospital. O aparelho será essencial para agilizar a fila de espera por este tipo de exame na região. O Estado aplicou mais de R$ 800 mil na aquisição do equipamento.

A expectativa é que o hospital realize cerca 315 exames por mês. A intenção é atender a demanda de pacientes de Londrina e mais 20 municípios: Alvorada do Sul, Assaí, Bela Vista do Paraíso, Cafeara, Cambé, Centenário do Sul, Florestópolis, Guaraci, Ibiporã, Jaguapitã, Jataizinho, Lupionópolis, Miraselva, Pitangueiras, Porecatu, Prado Ferreira, Primeiro de Maio, Rolândia, Sertanópolis e Tamarana.

O diretor do Hospital da Zona Norte, Luiz Soares Koury, relata que pacientes internados também serão beneficiados. "Vamos mudar a atual realidade. Hoje, quem precisa realizar o exame tem que ser transferido para uma clínica terceirizada e depois retorna ao Zona Norte para dar continuidade ao tratamento", comentou.

O reforço na estrutura do Hospital Zona Norte também tem impacto direto na rede de saúde de Londrina. Em 2014, quando foi suspensa a realização de cirurgias ortopédicas no município, o Hospital Zona Norte assumiu a demanda junto com o Consórcio Intermunicipal de Saúde do Médio Paranapanema (Cismepar). "O Zona Norte foi muito importante naquela época para que a saúde de Londrina não entrasse em colapso. Nos últimos seis meses, temos sentido bastante a diferença em nossa rede básica graças a este novo momento do hospital", conta o prefeito de Londrina, Alexandre Kireeff.

(com Agência Estadual de Notícias)

Grupo do Massa News no WhatsApp

Receba as principais notícias do dia direto no seu celular.

  Entrar no grupo