Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

Hospital Universitário recebe representantes do Banco Mundial

(Foto: Divulgação) - Hospital Universitário recebe representantes do Banco Mundial
(Foto: Divulgação)

O Hospital Universitário Regional dos Campos Gerais da Universidade Estadual de Ponta Grossa (HU) recebeu, nesta quinta-feira (10), a visita de representantes do Banco Mundial e técnicos da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), para o acompanhamento dos programas Rede Mãe Paranaense e Rede Paraná Urgência. Ambas as iniciativas, financiadas pelo Banco Mundial, têm o HU como referência na região dos Campos Gerais.

De acordo com o superintendente de Atenção à Saúde da Sesa, Juliano Gevaerd, o objetivo da visita foi conhecer as estruturas que integram essas redes de atenção à saúde, desde as unidades hospitalares referenciadas até as unidades básicas de saúde, assim com o impacto desses programas no atendimento à população. Além do HU, a comitiva do Banco Mundial vistoriou o Hospital Bom Jesus, em Ponta Grossa, e um unidade básica, em São João do Triunfo. “Essa é uma parceria fundamental para a execução das nossas ações”.

Para o especialista de saúde do Banco Mundial, Ezau Pontes, o que vem sendo feito no Paraná serve de modelo para outros Estados, também apoiados pelo banco. "No Brasil, não há nada melhor do que o Paraná faz no atendimento materno-infantil. Trata-se de uma experiência que merece ser levada a outros Estados e países”. A agenda de visitas também foi acompanhada por Davide Zuchini, coordenador de projetos do Paraná que atua no escritório do Banco Mundial em Washington (EUA).

A comitiva foi recebida pelo reitor Carlos Luciano Sant’Ana Vargas, pelo diretor geral do HU, Everson Augusto Krum, além de diretores e técnicos do hospital, juntamente com a chefe da 3ª Regional de Saúde, Sheila Mainardes. O reitor falou sobre os avanços conquistados pelo HU-UEPG, destacando o recente credenciamento como Hospital de Ensino. “Trata-se de um reconhecimento, um selo de qualidade”, disse, observando que em todas as avaliações pelas quais passou o HU foi muito bem recomendado.

Os números, indicadores e estrutura do HU foram apresentados pelo diretor geral, tendo o suporte do diretor técnico, Rafael Santos; e da diretora acadêmica Tatiana Menezes Garcia Cordeiro. Explicou que o Pronto Atendimento não funciona como ‘porta aberta’, os pacientes são encaminhados via Samu, Siate, Central de Regulação ou transferidos de outras unidades hospitalares. O atendimento materno-infantil também é referenciado. “A gestante é vinculada ao HU desde a primeira consulta na unidade básica de saúde”.

Colaboração Assessoria de Imprensa.