Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

Impasse entre MST e Prefeitura de Rio Bonito do Iguaçu

(Foto: Colaboração redesulnenoticias.com.br) - Impasse entre MST e Prefeitura de Rio Bonito do Iguaçu
(Foto: Colaboração redesulnenoticias.com.br)

O impasse entre o Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST) e a Prefeitura de Rio Bonito do Iguaçu deve ter um ponto final nesta quinta-feira (30), a partir da reunião com a Secretaria de Estado da Educação (SEED), agendada para às 9h na Prefeitura.

Desde segunda-feira (27), cerca de 200 pessoas de acampamentos do município ocuparam as dependências da Prefeitura e continuam no local. O número, porém, segundo a Assessoria de Comunicação da administração do prefeito Ademir Fagundes, caiu para 60 na manhã de terça (28). Os serviços internos foram suspensos, funcionando apenas as secretarias de Saúde (que é em outro local) e a Educação, que possui uma porta independente na Prefeitura.

O encontro entre o Município e a SEED é para encontrar uma solução para a ampliação de linhas do transporte escolar, abrangendo o acampamento Herdeiros da Terra 1º de Maio, que conta com uma comunidade central, onde se encontra a sede da Escola Itinerante Herdeiros do Saber. No total, são 1.100 famílias.  De acordo com Toni Escobar, do MST, cerca de 400 estudantes estão sem ir à escola. Segundo o líder do MST, hoje existem apenas duas linhas quando a demanda de estudantes requer mais três, totalizando cinco. A reunião com a SEED, conforme Toni, foi construção do setor de educação do MST, que efetivou uma denúncia e, a partir dela, a Secretaria de Educação acionou o município.

Porém, de acordo com a Prefeitura, como essas áreas estão sob judice numa demanda entre o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) com a empresa Araupel, o município não pode intervir. “O prefeito vai buscar um consenso com a Educação do Estado”, disse a assessoria”.

Em relação à manutenção dos 150 quilômetros de estradas, reivindicados pelos acampados e um dos motivos da ocupação, de acordo com a Assessoria, foi assinado um Termo de Acordo de Conduta (TAC) entre Rio Bonito do Iguaçu, Nova Laranjeiras – cerca de 50 quilômetros pertencem a esse município – e o Ministério Público, em abril deste ano. “O termo foi cumprido e nova readequação foi feita agora no começo de agosto, por orientação do MP”, disse a Assessoria.

O MST, entretanto, insiste na manutenção da estrada e diz que escola no Acampamento Herdeiros da Terra não foi construída, conforme acordo. ” A Prefeitura fez a terraplanagem e a comunidade doou óleo diesel para recuperação de parte da estrada”, disse Toni Escobar, do MST.

Segundo a assessoria da prefeitura, a escola Herdeiros do Saber só não foi construída porque não tem disponibilidade financeira por parte do município. “Como estamos em época eleitoral o Estado não pode fazer nenhum repasse financeiro”, observa o assessor de comunicação.

Colaboração redesulnenoticias.com.br

Grupo do Massa News no WhatsApp

Receba as principais notícias do dia direto no seu celular.

  Entrar no grupo