Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

Infrações médias são as mais cometidas pelos paranaenses

(Foto: Detran PR) - Conheça as infrações mais cometidas pelos paranaenses
(Foto: Detran PR)

A maior parte das infrações de trânsito cometidas pelos motoristas paranaenses nas rodovias estaduais e vias urbanas são de natureza média – foram 1.038.844 registros. De janeiro a outubro deste ano, foram registradas cerca de 2 milhões de autuações no Estado. Destas, 41% são classificadas como médias, 34% graves, 15% gravíssimas e 8% leves. As informações são do Departamento de Trânsito do Paraná (Detran). 

“Além de ser a mais cometida, o número de infrações médias aumentou 28% no Paraná nos dez primeiros meses de 2016, em relação ao ano passado. Isso significa que essas condutas estão sendo levadas menos a sério pelos motoristas, seja devido à pressa, à falta de atenção ou até mesmo à negligência”, diz o diretor-geral do Detran, Marcos Traad. 

Hoje, quem comete uma infração média paga multa de R$ 130,16 e acumula quatro pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH)

As mais frequentes

Com 672 mil registros, dirigir acima de 20% da velocidade lidera o ranking das infrações de natureza média. A segunda mais recorrente entre os paranaenses é o uso do celular ao volante, com 103 mil autuações, e estacionar em local ou/e horário proibido pela sinalização – 75 mil registros. 

O administrador Samuel Alves Silva, que costuma percorrer mais de 1,5 mil quilômetros por mês de carro, admite que a vida agitada já gerou diversas multas médias na Carteira de Habilitação. “No trânsito eu costumo ter pressa. Quando estou atrasado ou tenho dificuldades de encontrar vagas para estacionar, eu acabo cometendo algumas infrações”, reconhece Silva.

A empresária Rayssa Schmidt conta que ao acumular pontos em função de multas leves e médias teve a Carteira de Habilitação suspensa. “Eu achava que eu só poderia perder o direito de dirigir com multas graves e gravíssimas. Apesar de nunca ter tido nenhuma conduta considerada perigosa, depois da suspensão eu percebi que preciso ter mais cuidado e atenção mais no trânsito”.

Mudanças

Neste ano, algumas condutas consideradas leves e médias no Código de Trânsito Brasileiro (CTB) foram agravadas. Entre elas, a penalidade para quem estaciona em vagas destinadas a pessoas com deficiência ou idosas. Inicialmente considerada leve, em janeiro a infração passou a ser grave, acarretando cinco pontos na Carteira de Habilitação e multa de R$ 127,69. Em novembro de 2016, com a entrada em vigor da Lei Federal 13.281, a infração passou a ser considerada gravíssima. Com a mudança, agora a infração gera multa de R$ 293,47 e 7 pontos. 

O uso do celular na direção para falar com alguém, apesar de continuar uma infração média, pode gerar uma multa gravíssima (R$ 293,47 e 7 pontos na CNH) se o condutor manusear ou digitar no celular, em situações como para ver as horas, ler ou digitar mensagens. 

Municípios

Curitiba registrou 456.257 infrações médias nos primeiros dez meses deste ano, um aumento de 47% na comparação com o mesmo período de 2015, com 309.650 autuações.

Londrina, foi o município que teve a maior alta de infrações dessa natureza: 180%. Passou de 37.135 registros, de janeiro a outubro do ano passado, para 104.030 no mesmo período de 2016. Ponta Grossa e Foz do Iguaçu também tiveram aumento, com 36% e 32%, respectivamente. 

Já em Cascavel e Maringá houve queda expressiva das infrações médias. O primeiro, teve 51.443 autuações deste tipo nos primeiros dez meses de 2016 e 27.255 no mesmo período de 2015, o que equivale a uma redução 42%. No segundo, o número de infrações médias caiu de 103.347 para 72.268 – queda de 30%.