Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

Munhoz de Mello é primeiro município do PR a atingir meta da vacinação contra a dengue

Adolescentes e jovens de 15 a 27 anos são público-alvo (Foto: Sesa) - Munhoz de Mello é primeiro município do PR a atingir meta da vacinação
Adolescentes e jovens de 15 a 27 anos são público-alvo (Foto: Sesa)

Munhoz de Mello (a 50 quilômetros de Maringá) foi o primeiro município do Paraná a atingir a meta da campanha de vacinação contra a dengue, ao imunizar mais de 80% do público-alvo, formado por adolescentes e jovens entre 15 e 27 anos. Até o fim da tarde de segunda-feira (5), 84,7% haviam sido vacinados.

Para chegar até o público-alvo, o horário de funcionamento das unidades de saúde foi estendido e houve ainda imunização em escolas, empresas e academias, por meio de um mapeamento semanal dos adolescentes e jovens.

“Além ir até as residências, também entramos em contato, pelo Whatsapp e Facebook, com jovens que ainda não tinham se vacinado. Nas conversas, lembramos as consequências da dengue e buscamos esclarecer todas as dúvidas sobre a vacina para que a pessoa tivesse segurança e confiança no nosso trabalho”, contou o secretário municipal de Saúde, Mauro Sérgio de Araújo.

O município espera, já no verão, ter menos casos de dengue.

Vacinação no estado

Por causa do baixo índice de vacinação, a campanha foi estendida no Paraná até o dia 24 de setembro. “Nossa meta é atingir 80% da população que tem direito à vacina no Estado, mas o resultado disso vai ser estendido a todos os cidadãos. Mesmo quem não faz parte do público-alvo vai ser beneficiado a partir da redução da circulação do vírus na região em que reside”, explica a superintendente de Vigilância em Saúde, Cleide de Oliveira.

O governo do Estado acredita que a meta deve ser atingida em 27 cidades, porém, as maiores preocupam. Até segunda-feira, Londrina tinha atingido apenas 14,3% da população, Foz do Iguaçu 19,82% e Maringá 21,46%.

“A população precisa relembrar os impactos negativos que a dengue traz a todos. É uma doença séria, que pode evoluir para casos graves e, até mesmo, levar à morte. No último período epidemiológico tivemos o pior índice de óbitos por dengue no Paraná, com 61 mortes. Não podemos permitir que isso aconteça mais uma vez”, reforça Cleide.

Colaboração Agência Estadual de Notícias

Grupo do Massa News no WhatsApp

Receba as principais notícias do dia direto no seu celular.

  Entrar no grupo