Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

O menino que quer ser bombeiro: ‘minha roupa de super-herói’

(Foto: Antônio de Picolli/Tribuna do Vale) - O menino que quer ser bombeiro: ‘minha roupa de super-herói’
(Foto: Antônio de Picolli/Tribuna do Vale)

“A minha roupa de super-herói!”. Assim reagiu o pequeno João Miguel da Silva Ribeiro, de apenas 4 anos, ao receber sua farda das mãos do soldado Pedro Fabrício Godoy Vaz na tarde de sexta-feira (19), no Quartel do Corpo de Bombeiros de Santo Antônio da Platina. A emoção tomou conta das pessoas que acompanharam a homenagem ao menino que luta contra um câncer na bexiga há um ano e quatro meses, e sonha em se tornar bombeiro.

Quando completou dois anos e oito meses, João Miguel começou a apresentar dificuldade para urinar. Sua mãe, Andreia Caetano da Silva, o levou ao médico, que o diagnosticou com pedras no rim. O tratamento não apresentou resultados, e o estado de saúde de João Pedro se agravou.

A família então procurou outro médico, que identificou um câncer na bexiga do menino. A doença já havia tomado conta do órgão. Ele começou a ser tratado com sessões de quimioterapia, mas dois meses depois, em fevereiro do ano passado, precisou ser submetido a uma cirurgia para a retirada do tumor.

As sessões de quimioterapia continuaram. Semanalmente, sempre às quartas-feiras, João Miguel é levado ao Hospital do Câncer de Londrina para o tratamento. A cada 20 dias, porém, as doses administradas são maiores, e ele precisa permanecer internado durante três dias para receber o medicamento.

Em uma das viagens a Londrina, João Miguel comentou sobre o sonho de se tornar bombeiro e que gostaria de ganhar uma farda da corporação. A revelação chamou a atenção da motorista da Secretaria Municipal de Saúde de Santo Antônio da Platina, Maura Nazaré Rodrigues, que contou a história à enfermeira do setor de epidemiologia, Josiane Aparecida Teixeira.

No fim de dezembro, as servidoras municipais se mobilizaram pelo sonho do menino. Elas entraram em contato com o soldado Fabrício, que se comprometeu em ajudá-las. O bombeiro procurou a costureira que presta serviços ao Quartel e pediu a ela para que confeccionasse uma farda, exatamente igual às usadas pela corporação, inclusive, com direito ao ‘nome de guerra’ do soldado mirim, que viria a ganhar um dia de bombeiro.

Na tarde de sexta-feira, um dia depois da penúltima sessão de quimioterapia em Londrina, João Miguel chegou ao quartel dos bombeiros de Santo Antônio da Platina no colo da motorista Maura, acompanhado por parentes e pela enfermeira Josiane. Quando recebeu a farda das mãos do soldado Fabrício, o menino gritou: “Minha roupa de super-herói, quero ser bombeiro!”.

A reação de João Miguel demonstrou sua admiração e carinho para com os militares da corporação, que preparados para enfrentar as mais diversas situações no dia a dia não esconderam a emoção diante da espontaneidade do menino.

Devidamente uniformizado, o soldado mirim comandou o Quartel por algumas horas. Ele recebeu presentes, conheceu todas as repartições da unidade, aprendeu a manusear a mangueira de combate a incêndio, desfilou no caminhão dos bombeiros acompanhado por outras viaturas com sirenes e giroflex ligados e, após o passeio foi levado para casa, em uma chácara na zona rural do município, pelos militares da corporação.

“Convivo com a família do João Miguel há bastante tempo e aprendi a amar essas pessoas. Esse menino é um guerreiro, e jamais irá esquecer esse dia em sua vida”, comentou Maura. “Tomamos frente da situação, mas várias pessoas se sensibilizaram com a história do João Miguel e quiseram ajudá-lo. Recebemos várias doações, que foram entregues à família. Com um pouco de solidariedade de cada um é possível tornar a vida do próximo melhor”, acrescentou Josiane.

Para o soldado Pedro Fabrício Vaz a homenagem ao menino João Miguel o fez esquecer, mesmo que por apenas algumas horas, do grave problema de saúde que ele enfrenta e da rotina em função do tratamento. “Ele se transformou quando recebeu a farda, não se continha. Sua energia nos revigorou. Foi muito emocionante”.

Na próxima quarta-feira (24), João Miguel será submetido à última sessão de quimioterapia no Hospital do Câncer de Londrina. O fim do tratamento, no entanto, ainda dependerá do resultado de exames.

Colaboração Luiz Guilherme Bannwart/Tribuna do Vale

Grupo do Massa News no WhatsApp

Receba as principais notícias do dia direto no seu celular.

  Entrar no grupo