Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

Para reitora da UEL, desocupação foi "vitória do diálogo"

(foto: UEL/Divulgação) - Para reitora da UEL, desocupação foi "vitória do diálogo"
(foto: UEL/Divulgação)

A reitora da UEL, Berenice Quinzani Jordão, considerou uma vitória da cidadania e do diálogo a saída pacífica dos estudantes que ocupavam a Rádio UEL, desde o dia 2 de novembro, e o prédio da Reitoria, a partir da noite de 4. A retirada dos grupos ocorreu a partir da manhã desta sexta-feira (18), depois de duas semanas de negociações.

O prédio da Reitoria foi o primeiro a ser liberado , enquanto que na Rádio UEL os estudantes deixaram as instalações no início da tarde, depois de 17 dias. A emissora deverá retomar a programação a partir da próxima segunda-feira (21).

"Acreditamos que a cidadania se consolidou. Como educadores, optamos pela construção do diálogo", afirmou a reitora durante entrevista concedida na tarde desta sexta-feira. Ela explicou que a paralisação dos estudantes, deliberada em Assembleia Geral realizada na noite de ontem, quinta-feira, não teve relação direta com o compromisso assumido pelo Comando de Greve do Movimento Estudantil para a desocupação dos espaços administrativos e acadêmicos da Universidade. "A saída negociada com o Comando de Greve teve o objetivo de normalizar as atividades no Campus", disse ela.

Berenice Jordão também informou que o Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (CEPE), que tradicionalmente se reúne às quintas-feiras, é a instância responsável para deliberar sobre o Calendário Acadêmico, o que possivelmente ocorrerá já na próxima semana, dia 24 de novembro. E ainda que a Pró-reitoria de Graduação (PROGRAD) realizou dois estudos que contemplam a reposição de aulas e demais ajustes às atividades acadêmicas do Calendário em vigor, que prevê aulas até o dia 31 de janeiro de 2017.

Segundo a reitora da UEL, com a saída dos grupos na Reitoria e Rádio, é esperada a normalização das atividades administrativas, embora os professores tenham assembleia marcada para a próxima segunda-feira (21). Os docentes avaliarão a proposta do Governo, que em 17 de novembro reenviou à Assembléia Legislativa do Paraná (ALEP), a emenda que suspende a reposição inflacionária prevista para ser quitada em janeiro de 2017. 

Os servidores técnico-administrativos, em assembleia realizada na tarde de hoje (18), decidiram seguir em caravana para Curitiba nesta segunda, para acompanhar a plenária da ALEP. 

(com informações da Agência UEL)