Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

Passageiro atropelado por motorista de aplicativo após vomitar em carro está em coma

(Foto: Ilustração/Pixabay) - Passageiro atropelado por motorista de aplicativo está em coma
(Foto: Ilustração/Pixabay)

A Polícia Civil investiga se o atropelamento de um passageiro, provocado pelo motorista da plataforma 99pop, no último domingo (9), no bairro São Braz, em Curitiba, foi proposital. A vítima foi socorrida em estado grave e encaminhada ao Hospital Evangélico, onde segue internada em coma.  

Jean Ricardo Martins Cavalli, de 29 anos, voltava, junto com sua esposa, de uma festa realizada na sede social do Paraná Clube, no bairro Portão. No local, ambos ingeriram bebida alcoólica e, por este motivo, pediram um carro de aplicativo para voltar para casa, no bairro São Braz.

De acordo com a esposa da vítima, o rapaz começou a passar mal e vomitou dentro do carro, gerando uma discussão com o motorista, que pediu o pagamento de R$ 200 pelo transtorno. Cavalli não aceitou a cobrança e continuou discutindo com o suspeito, que teria mudado a rota até a residência do casal.

Ao chegar no local, a mulher realizou o pagamento da corrida e dos R$ 200 pedido pelo motorista, porém, ao descer do carro, Jean teria chutado a lataria do veículo. Em seguida, de acordo com a mulher, o motorista deu a volta no quarteirão e atropelou o passageiro, que foi socorrido em estado grave.

A delegada Patricia Nobre Paz, do 12º Distrito Policial, informou que a esposa da vítima já foi ouvida, e que outras testemunhas devem prestar depoimento. “Vamos buscar imagens e colher as provas necessárias para saber como os fatos ocorreram. Há a informação de que existe uma testemunha ocular do fato, que deve ser ouvida”, disse.

Em nota, a 99pop informou que o motorista foi bloqueado da plataforma. “A 99 se solidariza com a vítima e está em contato com a família para prestar todo o apoio que for necessário. A empresa também se encontra aberta a colaborar com a polícia. O aplicativo repudia essa e quaisquer outras ocorrências de violência e está trabalhando 24 horas por dia, 7 dias por semana, para colaborar com a segurança dos usuários”, completa a nota.

Colaboração Bruna Froehner/Rede Massa

Grupo do Massa News no WhatsApp

Receba as principais notícias do dia direto no seu celular.

  Entrar no grupo