Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

Passarela da Carlos Strass deve ser entregue até dezembro

(foto: DER/Divulgação) - Passarela da Carlos Strass deve ser entregue até dezembro
(foto: DER/Divulgação)

A construção da nova passarela sobre a rodovia Carlos João Strass, na zona Norte de Londrina, entra na fase final. Cerca de 80% dos serviços foram executados e as equipes contratadas pelo Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná (DER-PR) já levantaram toda a estrutura da nova travessia de pedestres, que substitui uma antiga existente no mesmo local e que foi interditada em agosto de 2015, quando um caminhão a atingiu.

Nesta semana, as equipes iniciaram mais uma frente de obras. Os funcionários trabalham agora na concretagem da laje que dará sustentação à passarela. Outro serviço em execução é a construção de uma das rampas de acesso.

“As obras estão progredindo dentro do cronograma previsto. Esse é um trecho com constante circulação de veículos. Por isso, estamos unindo esforços para entregar a nova passarela em perfeitas condições de uso, garantindo segurança para pedestres e motoristas da região”, explica o superintendente da Regional Norte do DER, Sérgio Selvatici.

Com investimento de R$ 437 mil do Governo do Paraná, a previsão é de que a passarela seja liberada até o fim deste ano, garantindo segurança novamente para moradores da região do bairro Jardim Beleville.

A nova passarela terá 6,80 metros de altura, um ganho de um metro em relação a antiga travessia. Outra mudança significativa é no vão da estrutura, que tinha 4,70 metros e passará a ter 5,60 metros.

Todos os pilares de sustentação foram reforçados. A estrutura metálica foi lixada e recebeu nova pintura. A passarela da rodovia Carlos João Strass, no trecho entre as avenidas das Torres e Saul Elkind, estava interditada desde agosto do ano passado, quando um caminhão atingiu o piso. As mudanças no tamanho da estrutura foram planejadas para evitar que outros acidentes semelhantes aconteçam.

(com informações do DER/PR)