Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

Presidente da Urbs explica valor da passagem de ônibus

(Foto: José Lázaro Jr./CMC) - Presidente da Urbs explica valor da passagem de ônibus
(Foto: José Lázaro Jr./CMC)

O presidente da Urbs - que gerencia o transporte coletivo de Curitiba -, José Antonio Andreguetto, conversou com vereadores nesta quarta-feira (15) sobre o valor da tarifa aplicada em Curitiba, que atualmente é de R$ 4,25. O Tribunal de Contas do Estado do Paraná (TCE-PR) concedeu liminar suspendendo o reajuste do último dia 06 de fevereiro. A Prefeitura de Curitiba recorreu.

Andreguetto apresentou uma justificativa para o valor. “De agora até fevereiro de 2018, o núcleo da pizza [que é a tarifa de R$ 4,25] não muda, o que vai mudar é a composição das fatias. Eu entendo que falar em engenharia financeira é complicado para a população, só que ou fazíamos isso, ou matávamos o sistema”, declarou.

Questionado sobre o porquê de “antecipar” o aumento, que geralmente acompanhava a revisão da tarifa técnica contratual, no fim de fevereiro, o presidente da Urbs disse que “hoje a tarifa técnica está em R$ 3,66, então [com a diferença] fazemos uma reserva de recursos para quando ela chegar em R$ 4,31 [e estiver acima do valor da passagem]”, justificou.

A composição da tarifa e as gratuidades previstas foram bastante discutidas na reunião. Vereadores criticaram a previsão no cálculo quanto ao imposto de renda das empresas que atuam no sistema de transporte e gratuidades como para os trabalhadores dos Correios, oficiais de Justiça, policiais e guardas fardados.

Andreguetto avisou que a Urbs está revisando vários itens do contrato do transporte coletivo e que o imposto de renda foi objeto de um processo administrativo, judicializado pelas empresas, e que a Urbs aguarda posicionamento do TCE. O presidente ainda disse que a empresa vai procurar as empresas e órgãos públicos para falar das gratuidades.

Ele ainda anunciou que será realizado um recredenciamento dos 177 mil idosos e pessoas com deficiência nos próximos meses para verificar quem é beneficiado pela gratuidade.

Colaboração Câmara Municipal de Curitiba