Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

Professor chama ex-aluno de 'pobre e filho de preto' e gera revolta

(Foto: Reprodução/Facebook) - Professor chama ex-aluno de 'pobre e filho de preto' e gera revolta
(Foto: Reprodução/Facebook)

Uma discussão entre um professor da rede estadual e um ex-aluno, durante uma live no Facebook, está gerando revolta nas redes sociais. O caso aconteceu no dia 28 de outubro, após o resultado das eleições, em Kaloré, no norte do estado. Durante a transmissão, o educador se irritou e chamou o jovem de "pobre e filho de preto". 

O professor criticava eleitores da cidade de Kaloré na rede social, quando o estudante Bruno Cruz, de 21 anos, solicitou a participação na conversa. Na live, o aluno diz que "nunca votou no PT". Essa frase foi suficiente para tirar o professor do sério, que respondeu com insultos diretos ao estudante. "Meus pêsames porque você é um sujeito pobre, lascado, estudante de escola pública, filho de preto e neto de preto que não compreende a importância das políticas afirmativas do Partido dos Trabalhadores". Em seguida, Bruno pediu desculpas e saiu da live. 

Carla Cruz, mãe do estudante, informou que ele possui Síndrome de Asperger, uma espécie de autismo leve, e por isso costuma ser muito tímido. Carla diz que o rapaz ficou extremamente constrangido após a discussão. "Por conta da condição dele, Bruno é um rapaz mais quieto e não fala muito. Eu notei que ele estava triste, mas ele sequer comentou a situação comigo. Fiquei sabendo por outras pessoas". 

Ela também comentou que recebeu apoio de outros professores e de membros da APP Sindicato, que representa a classe, do qual o professor é membro, se referindo à fala como "ofensiva e uma falta de tolerância". 

Na internet, o vídeo viralizou e gerou comentários nas redes sociais. Alguns usuários sugerem que a fala do professor foi racista. Após a repercussão, o professor apagou a live. O prefeito de Kaloré, Washington Luiz da Silva, declarou que considera a fala do professor desrespeitosa. "As pessoas votam em quem querem votar. Ele não pode falar tais grosserias e da forma como falou porque pensam diferente dele. Ainda mais para um professor". Washington ainda se disse preocupado com a postura do educador. "A gente fica imaginando como um professor desse se comporta em sala de aula". 

Procurado, o professor não se manifestou sobre o episódio.

Colaboração Bruno Previdi e Portal da Cidade

Grupo do Massa News no WhatsApp

Receba as principais notícias do dia direto no seu celular.

  Entrar no grupo