Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

Projeto-piloto indicado à Prefeitura usa galinhas para reduzir lixo orgânico

- Projeto-piloto utiliza galinhas para redução de restos orgânicos

Um projeto-piloto, aprovado pela Câmara Municipal de Curitiba, indica à Prefeitura a utilização de galinhas para a redução dos resíduos orgânicos. O autor da indicação de ato administrativo ou de gestão, vereador Goura (PDT), apontou que um animal seja capaz de consumir até 200 quilos de restos de alimentos por ano.

Goura defendeu que a iniciativa já ocorre em cidades de diferentes países, como Estados Unidos, Bélgica e França. Colmar, na França, disse ter reduzido seu lixo alimentar em 80 toneladas, em 2015, com o uso das galinhas para o consumo de resíduos orgânicos. Em Florianópolis (SC), informou Goura, foi implantado um programa em uma creche. “As prefeituras das cidades distribuem de duas a três galinhas aos habitantes e as pessoas assinam termo de compromisso em que devem aderir ao projeto e seguir as regras”, declarou.

Ainda de acordo com o vereador, os animais ainda podem gerar alimento, com a produção de ovos, e reduzir a população de insetos indesejáveis, que eles também consomem. “As galinhas também são ótimos animais de estimação”, pontuou. Os estudos sobre a implementação do projeto-piloto, completou ele, poderiam ser desenvolvidos pelas secretarias municipais do Abastecimento e do Meio Ambiente.

Presidente da Comissão de Meio Ambiente, Desenvolvimento Sustentável e Assuntos Metropolitanos, da qual Goura faz parte, Fabiane Rosa (PSDC) disse ser contra a iniciativa. “A gente até já conversou muito sobre isso. Não sou a favor, por muitos motivos. A gente já tem a lei que não permite a criação [comercial de animais], isso vai abrir precedente para que outros animais sejam criados. O abate vai acontecer. De que forma eles serão manejados, serão tratados?”, avaliou.

Katia Dittrich (SD), que também faz parte do colegiado e é protetora, reforçou os argumentos: “Poderia haver rinhas de galo. As protetoras além de protetoras de cães, gatos e cavalos, serão protetoras de galinhas”. Participaram do debate, ainda, com prequestionamentos ao autor, os vereadores Geovane Fernandes (PTB) e Mauro Bobato (Pode).

Com informações da Câmara Municipal de Curitiba