Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

Reintegração de posse na Câmara de Londrina fica para tarde

(foto: Devanir Parra/CML) - Reintegração de posse na Câmara fica para tarde
(foto: Devanir Parra/CML)

O juiz da 1ª Vara de Fazenda Pública de Londrina, Marcos José Vieira, concedeu liminar autorizando reintegração de posse no prédio da Câmara de Vereadores, ocupado desde a manhã de sexta-feira (3) por estudantes secundaristas que protestam contra a reforma do Ensino Médio e a aprovação da PEC 55 que tramita no Senado e prevê congelamento nos investimentos públicos na educação pelos próximos 25 anos.

 A multa diária em caso de descumprimento foi fixada em R$ 5mil.  Como o cartório só abre depois do meio-dia, a reintegração deve ser cumprida no período da tarde. Após a notificação do oficial de justiça, os estudantes ainda terão um prazo para recolher os pertences e deixar o local de forma pacífica.

No dia da ocupação, os estudantes teriam acordado com o presidente da Câmara, Fábio Testa (PPS), que permitiriam entrada de servidores e vereadores a partir das 14h de segunda, o que não ocorreu. Os funcionários foram dispensados do trabalho.

A mesa diretora da Câmara se reuniu com os estudantes para tentar o fim da ocupação, com a promessa de que eles participariam da sessão desta terça-feira (8) e uma comissão seria montada para levar as reivindicações adiante. Os estudantes, no entanto, exigiam uma reunião com deputados federais de Londrina para apresentar as demandas.

"Reconhecemos que são jovens que lutam por algo muito importante, que é a educação do País, mas eles deveriam ter a noção de que palavra dada é palavra cumprida", afirmou Testa. O vereador destacou ainda os prejuízos que o Legislativo vem contabilizando desde a última sexta-feira, quando foram canceladas uma reunião pública com diretores da Sercomtel Iluminação e uma sessão solene com cerca de 300 convidados.