Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

São Manoel do Paraná tem contas de 2012 aprovadas com ressalva

O Pleno do Tribunal de Contas do Estado do Paraná (TCE-PR) acolheu o recurso de revista interposto pelo prefeito de São Manoel do Paraná (Noroeste), José Carlos Ormelese (gestão 2013-2016). A medida altera a decisão do Acórdão de Parecer Prévio n° 521/14 da Segunda Câmara de Julgamentos da corte. Com isso, as contas de 2012 do município, no encerramento do primeiro mandato de Ormelese, foram julgadas regulares com ressalva e a multa foi afastada.

Na decisão original, o TCE-PR havia emitido parecer prévio pela irregularidade das contas, em razão do exercício do cargo de contador em desacordo com o Prejulgado nº 6 do Tribunal, com a recomendação para que o responsável adote medidas visando regularizar a contabilidade das despesas com a legislação vigente.

O Prejulgado 6 estabelece que as contratações de consultorias jurídica e contábil sejam admitidas para a prestação de serviços que exijam notória especialização, desde que envolva demanda de alta complexidade. A contratação é permitida nos casos em que não foi possível preencher os cargos efetivos por meio de concurso. O valor do pagamento mensal não pode extrapolar a remuneração do servidor efetivo - estabelecida no edital do concurso.

No recurso, Ormelese declarou que o contador concursado Alécio Scramin pediu aposentadoria e afastou-se do cargo. Nesta ocasião, após contratar, temporariamente, a empresa contábil de propriedade de Scramin, para garantir continuidade aos serviços do setor, o órgão realizou dois concursos públicos. Porém, nenhum dos candidatos foi aprovado.

Diante da necessidade, Scramin alegou que nomeou para o cargo de chefe da Divisão de Contabilidade o servidor efetivo Valdir Santana, até realização de novo concurso público. O servidor, segundo Scramin, possui formação acadêmica em Ciências Contábeis e vasto conhecimento na área pública.

Na nova decisão, tomada na sessão de 18 de fevereiro, o Tribunal Pleno aprovou, por unanimidade, o voto do relator do processo, conselheiro Durval do Amaral. O relator argumentou que, embora o fato denote afronta ao Prejulgado 6, a restrição não possui robustez necessária para macular a gestão do prefeito, uma vez que restou comprovado nos autos que o município está tentando corrigir a irregularidade.

O Acórdão 29/16 - Tribunal Pleno foi publicado em 7 de março, na edição 1.312 do Diário Eletrônico do TCE-PR, disponível em www.tce.pr.gov.br. Após o trânsito em julgado do processo, o parecer prévio do Tribunal será encaminhado à Câmara de São Manoel do Paraná. A legislação determina que as contas do Executivo Municipal sejam julgadas pelos vereadores. Para que a decisão do parecer prévio do Tribunal seja alterada, são necessários dois terços dos votos dos vereadores.

Grupo do Massa News no WhatsApp

Receba as principais notícias do dia direto no seu celular.

  Entrar no grupo