Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

"Se acontecer algo com a minha vida é culpa do descaso do Depen", afirma agente penitenciária refém

(Foto: Ricardo Vilches / Rede Massa) - "Se acontecer algo com a minha vida é culpa do descaso do Depen"
(Foto: Ricardo Vilches / Rede Massa)

Segue tensa a situação dentro da Penitenciária Feminina de Piraquara. No final da manhã de hoje (10) foi divulgado um áudio da agente penitenciária Ana Paula que é mantida refém desde a noite de ontem (09).

A agente, bastante nervosa e chorando, diz que está bem, mas que espera uma atitude do Departamento Penitenciário do Paraná (Depen) já que até agora não foi feito nada. Ela ainda afirmou que se algo acontecer com ela, a culpa é do Estado que está se omitindo. “Eu estou bem. As presas estão garantindo a minha integridade física, eu não estou machucada, eu não tenho nenhum machucado no meu corpo. Só que o Depen desde ontem não atende a nenhuma reivindicação das presas que são um mutirão com a presença de um juiz do judiciário, a presença dos Direitos Humanos e da direção. Até agora o Depen não está movendo uma palha pela minha vida, se acontecer alguma coisa com a minha vida é culpa do descaso do Departamento Penitenciário do Paraná. Ninguém faz nada para me tirar daqui”. Além dela outras seis presas são mantidas reféns.

A agente é mantida refém há mais de 15 horas. Ela denunciou ainda a situação de superlotação na penitenciária. “As presas estão em seis em um cubículo que tem espaço para três. O calor está insuportável”, diz em outra parte do áudio. 


Chorando, Ana ainda fala “ Vocês (Depen) estão brincando com as presas, vocês sabem que elas não estão de brincadeira. Por favor, façam alguma coisa logo. Vocês estão demorando, estão deixando a situação piorar”.

Presas na Penitenciária Feminina de Piraquara iniciaram uma rebelião na noite desta quinta-feira (9) após a tentativa de uma agente penitenciária fazer a remoção de uma das presas de dentro da cela.

Estima-se que cerca de 300 presas participem da rebelião.

Negociações

No início desta tarde (10) a Secretaria de Segurança Pública do Paraná (SESP-PR) afirmou em nota que as negociações serão retomadas.

"O Departamento Penitenciário do Paraná (Depen) informa que retomou as negociações com as presas da Penitenciária Feminina de Piraquara após um incidente dentro da unidade – quando foi detonado um artefato. O Diretor do Depen, Luiz Alberto Cartaxo de Moura, assim como o juiz da Vara de Execuções Penais (VEP), estão se deslocando até a unidade prisional para ouvir as reivindicações das presas.

Desde o fim da tarde de quinta-feira (9) uma agente penitenciária é feita refém. Até o momento não há informações sobre feridos. Por questão de segurança, algumas detentas que estavam isoladas (seguro) foram transferidas.

Policiais do Batalhão de Operações Policiais Especiais (BOPE), unidade de elite da Polícia Militar, estão à frente da negociação com as presas. A Direção da unidade prisional e o SOE (Seção de Operações Especiais) acompanham as negociações.

Por motivo de segurança dos familiares, as visitas foram suspensas no Complexo Penitenciário de Piraquara até que seja restabelecida a normalidade.

A Penitenciária Feminina de Piraquara tem capacidade para 370 detentas e abriga atualmente 440".