Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

Secretaria investiga se mortes de macacos têm relação com febre amarela

(Foto: Divulgação/AEN) - Secretaria investiga relação de febre amarela com mortes de macacos
(Foto: Divulgação/AEN)

A secretaria de Estado da Saúde está investigando a possibilidade de quatro bugios, encontrados mortos nesta terça-feira (22), em Antonina, terem morrido por causa de febre amarela. Materiais foram colhidos por técnicos e serão submetidos a exames, que devem ficar prontos em uma semana devido à urgência do caso.

Um dos animais estava morto há mais tempo, e ainda não há confirmação de que os bugios estivessem, realmente, com febre amarela. “Agora, o importante é convocar a população para tomar a vacina, disponível em todas as unidades de saúde do Paraná”, destaca o superintendente interino de Vigilância em Saúde, João Luís Crivellaro.

Um alerta sobre a possibilidade de casos de febre amarela na região já havia sido feito pela Secretaria, já que o número de casos aumentou em cidades de São Paulo que fazem divisa com o Paraná, inclusive com mortes.

De acordo com a médica veterinária Ivana Belmonte, do Centro de Vigilância Ambiental de Saúde, a Secretaria da Saúde também entrou em contato com a Secretaria de Desenvolvimento Ambiental e Turismo, recomendando o controle total dos parques e áreas de mata próximas ao litoral. Só podem entrar na mata pessoas que foram vacinadas e, em caso de agravamento da situação, os parques devem ser fechados.

Ivana também alertou a população para que não mate os macacos, pois os animais não transmitem a febre amarela e servem como um sinalizador para a existência do mosquito com o vírus transmissor.

Informações Agência Estadual de Notícias

Grupo do Massa News no WhatsApp

Receba as principais notícias do dia direto no seu celular.

  Entrar no grupo