Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

Sistema de transporte coletivo foi alvo de três arrastões no mesmo dia

(Foto: Brunno Covello/SMCS (arquivo)) - Sistema de transporte coletivo foi alvo de três arrastões no mesmo dia
(Foto: Brunno Covello/SMCS (arquivo))

Motoristas, cobradores e passageiros do sistema de transporte coletivo de Curitiba foram vítimas de três arrastões ocorridos nesta quarta-feira (14). Em menos de uma semana foram cinco casos de arrastão, com um passageiro morto.

A denúncia foi feita pelo Sindimoc, que representa os trabalhadores e já contabilizou 11 arrastões desde o dia 1º de janeiro de 2018. Em média, os usuários do transporte coletivo da capital foram vítimas de um arrastão a cada quatro dias.

Os três arrastões de ontem aconteceram na região sul da cidade, nos bairros Pinheirinho, Bairro Novo A e Capão Raso. Os dois primeiros, realizados durante a manhã, tiveram ação semelhante e pela descrição das vítimas foram cometidos pelos mesmos suspeitos.

Às 6h30, dois homens armados embarcaram no ônibus da linha Bairro Novo A na rua Cidade de Palmas. Eles levaram o dinheiro do caixa e também pertences dos passageiros.

Três horas depois, às 9h30, as vítimas foram trabalhadores e passageiros da linha alimentador Pinheirinho. Em uma ação bastante parecida com a primeira, a dupla armada embarcou no primeiro ponto da avenida Nossa Senhora do Sagrado Coração e fugiu depois de pegar dinheiro e pertences.

No começo da noite, os suspeitos que também estavam armados embarcaram na linha Campo Alegre no terminal do Capão Raso. Quando o veículo acessou a avenida das Indústrias, a dupla anunciou a ação e roubou apenas os passageiros. Eles desceram em seguida e fugiram por um matagal.

“Eles viram que está fácil. Escolhem um ônibus e atacam. Fazer arrastão virou coisa fácil para o bandido”, comentou o diretor do setor de inteligência do sindicato, Ari Dario Pereira. Ele comenta ainda que a ação dos assaltantes está mudando, pois antes os suspeitos esperavam os ônibus no ponto de ônibus para embarcar e então abordar as vítimas. Agora, muitos assaltantes embarcam pelos terminais. “Queremos câmeras nos ônibus, que isso saia dos testes e entre na prática”, pediu Pereira.

Cinco arrastões em uma semana

Desde a última quinta-feira (8), foram registrados cinco arrastões no sistema de transporte da Grande Curitiba. Um passageiro morreu ao ser baleado na cabeça após reagir à ação de três assaltantes que abordaram os usuários da linha Rurbana, no bairro Tatuquara. Dois suspeitos foram presos.

No domingo (11), uma nova tentativa de arrastão quase terminou em tragédia, em Piraquara (Região Metropolitana de Curitiba). Mais um passageiro reagiu à abordagem e não foi baleado porque a arma do suspeito falhou. A dupla também foi detida.

Monitoramento

A assessoria de imprensa da Urbs, responsável pelo sistema de transporte coletivo informou que 500 câmeras estão em funcionamento no sistema, em estações tubo e terminais, que podem ajudar nas investigações.

Além disso, os novos biarticulados previstos para começarem a operar já contam com sistema de monitoramento e câmeras estão em testes em outras linhas, mas a implantação será de forma gradativa.

A secretaria municipal de Defesa Social e Trânsito divulgou uma nota sobre os registros de arrastões e informou que são realizadas "abordagens diárias nas mais diversas linhas do transporte coletivo da cidade, em horários distintos". "Equipes da Guarda Municipal são deslocadas para o trabalho da Patrulha do Transporte Coletivo, com patrulhamento preventivo em estações-tubo e terminais de ônibus. Este é um trabalho conjunto com as forças policiais do Estado, que envolve ações ostensivas da Polícia Militar e atividades de inteligência, de identificação e de prisão de suspeitos pela Polícia Civil."