Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

STJ nega liberdade para Allana Brittes, filha de réu que confessou ter matado o ex-jogador Daniel

Allana Brittes seguirá presa por tempo indeterminado. (Foto: Reprodução/Rede Massa) - Caso Daniel: STJ nega habeas corpus e Allana Brittes segue presa
Allana Brittes seguirá presa por tempo indeterminado. (Foto: Reprodução/Rede Massa)

Allana Brittes, presa preventivamente desde novembro do ano passado por envolvimento na morte do ex-jogador Daniel Corrêa Freitas, teve um pedido de liberdade negado pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ). O ministro Sebastião Reis Júnior não concedeu a liminar por entender que os argumentos que justificam a detenção cautelar ainda são válidos.

A defesa de Allana, que é filha do réu confesso Edison Brittes, argumenta que a acusada não oferece riscos à investigação, ainda mais agora que todas as testemunhas já foram ouvidas pela Justiça de São José dos Pinhais, na região metropolitana de Curitiba.

Ela é acusada pelos crimes de fraude processual, corrupção de menores e coação no curso do processo que investiga a morte do ex-jogador Daniel. Allana completou 18 anos dois dias antes do crime, registrado no último dia 26 de outubro.

De acordo com a decisão que permitiu a prisão preventiva, a filha de Edison Brittes era sempre a primeira pessoa a fazer contato com as testemunhas. O objetivo da família seria combinar uma versão mentirosa sobre os fatos da noite que terminou com a morte de Daniel.

Análise pelo plenário

Ao negar o pedido de liminar, o ministro Sebastião Reis Júnior afirmou que só poderia atender o pedido se fossem comprovadas falhas graves ou ilegalidades no processo.

Ele argumenta que o mérito do habeas corpus – ou seja, os argumentos para o pedido de liberdade – deve ser discutido pela 6ª Turma do STJ, que é a responsável pelo caso.

Não há prazo para que o pedido entre na pauta de julgamentos.