Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

Superlua reúne apaixonados por astronomia e encanta moradores

É difícil encontrar alguém que não tenha olhado para o céu na noite desta segunda-feira (14) para conferir a maior superlua dos últimos 68 anos. O fenômeno astronômico reuniu estudiosos e entusiastas, e encantou todo mundo que decidiu observar o astro durante a noite.

Superlua reúne apaixonados por astronomia e encanta moradores

A caminhada noturna do Parque Estadual de Vila Velha também atraiu um grande número de participantes – todos ansiosos para observar a superlua. E em se tratando de Ponta Grossa, os participantes deram sorte de pegar o céu ‘limpo’ para assistir ao espetáculo da natureza.

O Grupo Ponta-grossense de Amadores de Astronomia (GPPA) também considerou a noite de ontem especial e se reuniu para observar o período em que a lua ficou na menor distância da Terra em quase 70 anos. O vídeo que ilustra a matéria foi enviado por Marcelo Kaczmarech, do GPPA.

Como ocorre

Como em qualquer outra lua cheia, o corpo celeste parece maior e mais brilhante quando aparece no horizonte. E o mesmo ocorre com as superluas. Ainda que elas apareçam 14% maiores e 30% mais luminosas que as luas cheias comuns, são mais surpreendentes quando estão na linha do horizonte e não altas, no céu.

Isso acontece porque a órbita da lua não é um círculo perfeito, então em alguns pontos de sua órbita ela parece estar mais próxima do planeta Terra. “Quando a lua está em seu ponto mais distante isso é conhecido como apogeu e quando está mais perto é chamado de perigeu”, explica o cientista da Nasa Noah Petro.

No perigeu, a lua está cerca de 48 mil quilômetros mais perto da Terra do que no apogeu. Essa proximidade faz com que a lua pareça 14% maior e 30% mais brilhante do que uma lua cheia do apogeu. Por isso, a lua cheia do perigeu ficou conhecida como superlua.

Colaboração Agência Brasil.