Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

Suspeitos afirmam que policiais mataram jovem por engano; grupo diz ter sido coagido

(Foto: Colaboração) - Suspeitos afirmam que policiais mataram jovem por engano
(Foto: Colaboração)

Os suspeitos envolvidos em um assalto, que resultou na morte de Deyvid Luigi Fronza, em 10 de novembro de 2018, afirmaram que a vítima foi assassinada por engano pelos policiais. O grupo, que teria roubado um estabelecimento comercial em Almirante Tamandaré, confirmou que Deyvid não estava envolvido com o crime.

Durante a audiência, um dos acusados confessou que estava sendo ameaçado pelos agentes. De acordo com o suspeito, ele foi coagido a mentir para a justiça depois que os policiais atiraram contra o rapaz e alteraram a cena do crime.

Os três suspeitos alegaram que não conheciam Deyvid e que viram o rosto da vítima depois que os policiais mostraram uma foto dele.

O caso

Deivyd Luigi Fronza foi morto a tiros enquanto pulava o muro de uma residência, no bairro Pilarzinho, em Curitiba. Vizinhos e testemunhas afirmam que o rapaz foi alvejado pelas costas pelos agentes da Polícia Militar (PM). 

A PM afirmou que os agentes do BOPE foram recebidos a tiros e, durante o confronto, o suspeito foi baleado. O Siate foi acionado, mas o homem não resistiu aos ferimentos e morreu no local. 

Colaboração Alexandre Fernandes/Rede Massa