Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

Veterinários trabalham na prevenção da leishmaniose

(Foto: Prefeitura Municipal de Ipatinga) - Veterinários trabalham na prevenção da leishmaniose
(Foto: Prefeitura Municipal de Ipatinga)

Médicos veterinários da Secretaria da Saúde de Londrina e região estarão reunidos na próxima quarta-feira (30) para um evento de capacitação sobre a leishmaniose visceral. A doença, que é transmitida pela picada de insetos e pode atingir tanto humanos quanto animais (em especial os cães), tem se espalhado por todo o Brasil e desde 2014 vem afetando o município de Foz do Iguaçu no estado do Paraná.

A leishmaniose visceral não tem cura para os cães e até o momento a orientação do Ministério da Saúde é para que os animais portadores da doença sejam sacrificados. Já para humanos há tratamento, embora o diagnóstico seja difícil; se a confirmação for tardia, o risco de óbito é grande. De acordo com dados do Ministério da Saúde, a zoonose leva aproximadamente 200 pessoas a óbito por ano. No Paraná há registro de cinco casos da doença em humanos – dois pacientes não sobreviveram apesar do tratamento.

De janeiro a setembro deste ano, Foz do Iguaçu registrou 469 cães portadores da doença. Outros 16 municípios paranaenses já levantaram casos suspeitos, enviando amostras de sangue para os laboratórios oficiais. Embora nenhum outro caso além de Foz tenha sido autóctone – contraído dentro do município -, os números apontam que em pouco tempo a leishmaniose deverá estar presente em mais lugares do estado.

O papel do médico veterinário no controle e diagnóstico desta zoonose é determinante. A expectativa é que através da capacitação os profissionais do município de Londrina possam fazer o monitoramento do vetor (mosquito-palha) e intensifiquem os exames de sangue em cães para verificar a presença de animais positivos, retardando ou até mesmo evitando a chegada da doença ao município.

Participarão do Seminário o presidente do Conselho Federal de Medicina Veterinária, Benedito Fortes de Arruda; o presidente do Conselho Regional de Medicina Veterinária do Paraná, Eliel de Freitas; a chefe do Centro de Vigilância Ambiental da Secretaria de Estado da Saúde, Ivana Belmonte; e a diretora da 17ª Regional de Saúde, Teresinha de Fátima Sanches.

Colaboração Assessoria de Imprensa.