Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

Após tumulto em votação, Dilma diz que não estará em Porto Alegre para 2º turno

A ex-presidente Dilma Rousseff afirmou que não estará na capital gaúcha no dia 30 de outubro e, por isso, não votará no segundo turno da eleição à prefeitura. "Eu podia te dizer que o voto é secreto. Agora, rigorosamente eu te digo que não estarei em Porto Alegre para votar. Eu vou justificar", revelou nesta quinta-feira, 13, em entrevista à Rádio Guaíba, sem explicar as razões para a decisão.

O voto de Dilma no primeiro turno, no dia 2 de outubro, foi marcado por um intenso tumulto. Uma decisão do juiz Niwton Carpes da Silva, da 160ª zona eleitoral, impediu os jornalistas presentes na Escola Santos Dumont de registrarem a votação. Ele alegou que a petista é uma "cidadã comum" e, portanto, deve votar sozinha.

A decisão do juiz gerou uma confusão que culminou em confronto entre a Brigada Miliar e as pessoas que tentavam acessar o local de votação. Além dos jornalistas, apoiadores de Dilma também tiveram a entrada barrada, entre eles o ex-ministro Miguel Rossetto e o deputado federal Henrique Fontana (PT-RS). No empurra-empurra, o vidro de uma porta foi quebrado. Na ocasião, Dilma classificou como "absurda" e "antidemocrática" a decisão do TRE-RS.

O PT não tem candidato neste segundo turno em Porto Alegre. A disputa está entre o deputado federal Nelson Marchezan Junior (PSDB) e o atual vice-prefeito, Sebastião Melo (PMDB). O candidato petista, Raul Pont, ficou em terceiro lugar. Com o resultado, o PT definiu que não apoiará nenhum dos nomes que seguem na corrida pela prefeitura.

Grupo do Massa News no WhatsApp

Receba as principais notícias do dia direto no seu celular.

  Entrar no grupo