Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

Arantes: documentos da delação de Delcídio não foram considerados em relatório

O relator do processo de impeachment na comissão especial da Câmara, deputado Jovair Arantes (PTB-GO), disse que documentos da delação premiada feita pelo senador Delcídio Amaral (sem partido-MS) não foram considerados como fundamento para a elaboração do relatório. No entanto, ele observou que o Senado, se a denúncia chegar lá, poderá admitir a delação e outras provas que possam ser geradas.

A delação havia sido retirada pelo presidente da comissão, Rogério Rosso (PSD-DF), sob alegação de que ela não estava na denúncia original. Até a notificação da presidente Dilma Rousseff, o documento não constava nas denúncias. Com receito de que o governo levasse o caso à Justiça, atrasando ainda mais o processo, Rosso retirou as denúncias de Delcídio.

Arantes ainda negou o pedido da defesa para que anule a audiência de esclarecimento da denúncia, que contou com a participação dos denunciantes. Segundo ele, essa audiência com os autores do pedido de impeachment não prejudicou a denunciada. "Os denunciantes foram convidados a comparecer a esta Casa não porque a peça inicial fosse omissa, contraditória ou obscura, mas para prestar esclarecimentos no sentido de apresentar a denúncia oralmente aos deputados", justificou. Diante dessa avaliação, ele negou o pedido da defesa de novo prazo para rebater as falas dos denunciantes.

Grupo do Massa News no WhatsApp

Receba as principais notícias do dia direto no seu celular.

  Entrar no grupo