Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

Chicarelli alega ‘déficit de atenção momentâneo’ e vereadores rejeitam denúncia

(Foto: Divulgação/CMC) - Chicarelli se defende e vereadores rejeitam denúncia
(Foto: Divulgação/CMC)

A sessão da Câmara de Vereadores desta segunda-feira (21), foi marcada pela votação da denúncia contra o vereador Chicarelli (PSDC), realizada pelo vereado Chico do Uberaba (PMN), de que Chicarelli teria votado em seu lugar no dia 19 de outubro. Na ocasião, durante a votação em segundo turno das contas de 2011 da Prefeitura de Curitiba, Chico do Uberaba relatou que “votaram por ele’. A denúncia foi feita de forma verbal à Mesa diretiva, que encaminhou o caso à Corregedoria da Casa. Os sete membros da Mesa, consideraram o fato como grave, além de que “a autoria e a materialidade ficaram evidenciadas no reconhecimento feito pelas imagens registradas pelas câmeras internas do plenário”. O vereador Chicarelli assumiu o ‘erro’ pouco depois.

Bastante emocionado, Chicarelli usou a tribuna para se justificar. “Vou tentar falar sem chorar”, disse. De acordo com ele, o que aconteceu foi um “déficit de atenção momentâneo”, um “ato falho”. “Eu votei pelo Chico por engano”.

O vereador usou também as imagens das câmeras de segurança da Câmara para mostrar o momento. Nas imagens é possível ver ele conversando com outro vereador e apertando o botão da bancada de Chico do Uberaba. Depois, ele disse que “foi para sua bancada assinar documentos e esbarrou no botão de votação, votando novamente”.

Por 25 votos contrários e cinco abstenções, os vereadores rejeitaram a denúncia.

Pauta

A pauta foi formada por nove projetos, dos quais dois para recebimento de emendas para o orçamento 2017.  A utilidade pública para o Instituto Wilson Picler foi aprovada; a denominação de logradouro público de Elon da Silva Garcia, também; assim como a denominação de rua de Maria Teresa Carvalho Silva; a utilidade pública da APMF da Escola Estadual São Braz e da APMF do Colégio Estadual Paulo Leminski e a cidadania honorária a Laurindo Moacir Sassi.  

O projeto que dispõe sobre o sistema de credenciamento para a comercialização do cartão avulso de transporte coletivo em Curitiba, foi adiado e retorna à pauta na próxima segunda-feira (28).