Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

Comissão de Ética quer ouvir testemunhas do processo contra Eduardo Cunha em Curitiba

(Foto: Joyce Carcalho / Massa News) - Comissão de Ética quer ouvir testemunhas do processo contra Eduardo Cunha em Curitiba
(Foto: Joyce Carcalho / Massa News)

A manhã desta terça-feira (5), foi de reunião em Curitiba sobre o processo por quebra de decoro parlamentar contra o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ).  Os deputados que integram a Comissão de Ética da Câmara dos Deputados, Sandro Alex (PSD-PR), que é vice-presidente do Conselho de Ética, o deputado José Carlos Araújo (PSD-BA), presidente do Conselho e o deputado Marcos Rogério (DEM-RO), relator do processo, se reuniram com o juiz federal Sérgio Moro. O encontro aconteceu na sede da Justiça Federal e teve o objetivo, conforme Sandro Alex, de promover uma facilitação nos depoimentos das testemunhas do processo.  O deputado explicou que este primeiro contato foi para pedir a autorização de Moro para utilização das dependências da Justiça Federal em Curitiba para que a Comissão colha os depoimentos. 

“Entendemos como muito positivo este encontro, o juiz colocou a nossa disposição a estrutura da JF, e ainda nos repassou os depoimentos dos envolvidos na Operação Lava Jato e no processo de quebra de decoro do Cunha”, disse Sandro Alex. “Este foi apenas o primeiro momento e a partir de agora, vamos solicitar autorização ao Supremo Tribunal Federal para podermos realmente fazer as oitivas aqui. Isso é necessário por conta do foro privilegiado”, acrescentou.

A mudança de cenário, trazendo para Curitiba e tirando de Brasília o foco, seria estratégica, conforme Sandro Alex, pois deixaria as testemunhas mais à vontade. “As testemunhas não são intimadas, elas são convidadas e aqui, acredito que elas ficam mais tranquilas para colaborarem”.

O processo todo, conta com 19 testemunhas, sendo 11 apresentadas pelos denunciantes e 8 apresentadas como defesa de Eduardo Cunha. O foco da investigação é comprovar a existência de contas no exterior. “Se no decorrer da investigação nos depararmos com outros crimes eles serão investigados, mas neste momento, nosso foco é avaliar essa questão da existência das contas fora do Brasil”, diz Alex.

A intenção da Comissão, é ouvir por aqui quatro testemunhas, consideradas pela Comissão como fundamentais. Entre as testemunhas estão Fernando Baiano, Alberto Youssef, Julio Camargo e Leonardo Meireles. “Leonardo Meireles pode contribuir muito com a investigação".

"Ele apontou em depoimento já prestado, documentos que comprovariam depósitos em contas no exterior”, disse Marcos Rogério.

Os deputados enfatizaram, que havendo a autorização do STF, os depoimentos devem ser colhidos na sede da JF em Curitiba no dia 18 de abril, a partir das 9 horas. “Serão dois dias de oitivas, com tudo gravado e documentado, desta forma, se os deputados da Comissão não puderem vir, terão acesso aos depoimentos”.

Vinte e um deputados integram a Comissão de Ética. O relator do processo, deputado Marcos Rogério, disse que o prazo legal para a fase de instrução é de 40 dias e após a conclusão são mais 10 dias para apresentar o relatório, no entanto, a intenção é terminar antes deste período. “Os quarenta dias encerram no dia 19 de maio, mas, se não houverem interferências, pretendo encerrar antes”.

Atrasos

Os deputados afirmaram que este é o processo mais longo da história do Conselho de Ética, e que isso vem de diversos recursos e interferências da defesa do deputado. Os parlamentares também relataram outras dificuldades, como a liberação de passagens para as testemunhas. Nunca antes o presidente da Câmara tinha sido investigado, então, temos estas dificuldades inerentes ao caso”.

Grupo do Massa News no WhatsApp

Receba as principais notícias do dia direto no seu celular.

  Entrar no grupo