Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

Contra o fantasma da prisão da Lava Jato, índios 'fecham o corpo' de Lula

(Foto: Ricardo Stuckert/Facebook Lula) - Contra o fantasma da prisão, índios 'fecham o corpo' de Lula
(Foto: Ricardo Stuckert/Facebook Lula)

Acuado pela Justiça e cada vez mais perto da prisão da Lava Jato, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva agora está sob "proteção" indígena. Na Quinta-feira passada, dia 15, enquanto seus advogados lutam nos tribunais para afugentar o fantasma da cadeia que o atormenta, Lula foi recepcionado em Salvador, no Fórum Social Mundial, por um grupo de mais de 20 etnias que promoveram o ritual de "fechamento de corpo" do ex-presidente.

Os índios brindaram Lula, então exibindo um semblante marcado pela tensão, com um cocar vistoso e despejaram a fumaça da proteção sobre seu corpo.

O ex-presidente, condenado a 12 anos e um mês de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro no processo do triplex do Guarujá (SP), também recebeu a pauta de reivindicações dos povos indígenas - a prioridade é a demarcação de territórios.

Grupo do Massa News no WhatsApp

Receba as principais notícias do dia direto no seu celular.

  Entrar no grupo