Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

Defesa de Eduardo Cunha afirmou que ‘delação não foi discutida e não está em pauta’

(Foto: Paula Schreiber/Massa News) - Advogado de Cunha afirma que ‘delação premiada não está em pauta’
(Foto: Paula Schreiber/Massa News)

A defesa do ex-deputado Eduardo Cunha conversou com a imprensa na sede da Polícia Federal em Curitiba no fim da manhã desta quinta-feira (20). O advogado Marlus Arns de Oliveira relatou que faz parte da grande equipe de advogados que defendem Cunha neste caso. Ele afirmou que todos os atos do processo que resultaram na prisão estão sendo analisados e que as medidas necessárias estão sendo tomadas. “Entre hoje e amanhã nossa equipe está entrando com o pedido de habeas corpus e outras medidas cabíveis para o relaxamento da prisão”, disse.

O defensor afirmou que Eduardo Cunha está tranquilo e que os advogados vinham trabalhando no caso já há algum tempo. “Ele está bem, estudando o processo e discutindo a defesa com os advogados”.

Sobre Cunha ter afirmado que sua prisão seria “absurda e injusta”, Marlus comentou que “esta é a opinião dele”. “É a opinião dele e estamos trabalhando para reverter isso. Ainda analisamos a prisão que é decorrente de um processo que já estava em trâmite no Supremo Tribunal Federal e é preciso cautela para avaliar a competência para essa prisão”.

Um dos temas mais comentados no caso da prisão do ex-deputado, a delação premiada, também foi questionado ao advogado, que enfatizou que “o tema não foi discutido e não está em pauta”. Também não estão previstas, pelo menos por ora, visitas familiares ao preso. “Os ânimos da sociedade estão exaltados, então, eles preferem se preservar”.

A Polícia Federal, o Ministério Público Federal e a Justiça Federal não se manifestaram até o momento sobre a realização de coletiva à imprensa para detalhar a situação.

Agressões

Na tarde de quarta-feira (19), na chegada do preso na Delegacia da Polícia Federal, os advogados sofreram ‘agressões verbais e tentativas de agressões físicas’. “Alguns membros da nossa equipe foram hostilizados, e houve até mesmo dano no carro de um advogado. Todos têm direito de defesa e de contratar um advogado. É preciso serenidade. Advogado tem garantia constitucional”.

Colaboração Paula Schreiber