Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

Eleição do ouvidor de Curitiba é adiada para ano que vem

(Foto: Andressa Katriny/CMC) - Eleição do ouvidor de Curitiba é adiada para ano que vem
(Foto: Andressa Katriny/CMC)

A eleição do novo ouvidor de Curitiba foi adiada para o ano que vem. A escolha do responsável por receber o contato da população da capital deveria acontecer ainda no mês de dezembro, mas agora não tem data prevista para ser realizada.

Três nomes foram escolhidos entre 23 candidatos: Clóvis Augusto Veiga da Costa, que disputa a reeleição, e os também advogados Gustavo de Pauli Athayde e Maurício de Santa Cruz Arruda. Eles seriam sabatinados pelos vereadores para então ser decidido quem ocuparia o cargo em 2017 e 2018.

Quem apresentou o requerimento de adiamento da decisão foi o vereador Chico do Uberaba (PMN). Ele sugeriu que o processo seja retomado do ponto onde parou. Nove vereadores votaram contra a decisão. Eles criticaram a medida e questionaram a viabilidade jurídica do adiamento, especialmente sobre o processo ser retomado em uma nova legislatura.

Os três candidatos afirmaram à equipe de comunicação da Câmara Municipal que não irão recorrer da decisão, nem à Mesa nem judicialmente. “Vou aguardar. Foi um valoroso exemplo de democracia”, disse o atual ouvidor.

“Este processo tem que ser revisto, a forma de votar. É com grande pesar que testemunhei a discussão. Me sinto lisonjeado de mais uma vez ter participado da lista”, declarou Arruda. “Foi muito democrático. Trataram todos os candidatos com respeito e serviu como experiência”, defendeu Athayde. O ouvidor precisa ser eleito pela maioria absoluta dos vereadores. Ou seja, por pelo menos 20 votos.

Colaboração Câmara Municipal de Curitiba