Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

Em jantar com Temer, Renan defende divisão da multa da repatriação com Estados

Em jantar promovido pelo presidente Michel Temer, no Palácio do Alvorada, com lideranças da base aliada, o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), pediu para que o governo também distribua parte dos recurso arrecadados com a multa paga no programa de repatriação com os Estados. O encontro realizado na quarta-feira, 16, inicialmente, tinha como prato principal a votação, no Senado, da Proposta de Emenda à Constituição que estabelece um limite de gastos públicos.

"O jantar foi muito bom. Aproveitei a oportunidade e propus ao presidente da República que ele se antecipe à decisão do Supremo Tribunal Federal com relação à distribuição da multa da repatriação para os Estados e municípios", afirmou Renan nesta quinta-feira, 17. "Ele Michel Temer está refletindo e pensando em convocar uma reunião com governadores sobre isso. O projeto resolve a questão para 2017. Mas essa questão pode ser resolvida num entendimento entre o presidente e governadores para que ele se antecipe à decisão do STF", emendou.

A discussão sobre a divisão dos recursos da multa prevista no programa de repatriação atualmente está no âmbito do Judiciário, em decorrência da apresentação de ações por parte dos Estados.

O imbróglio se deve ao fato de que no entendimento do governo federal a multa paga no programa de repatriação não tem natureza tributária e em razão disso não haveria a obrigação de repasse aos Estados. Pelas regras, sobre o valor regularizado incidiu uma alíquota de 15% de Imposto de Renda e outros 15% de multa. O valor total repatriado foi de R$ 46,8 bilhões.

Apesar das contestações do Executivo, na última sexta-feira, 11, a ministra do STF, Rosa Weber, acolheu pedido liminar em Ações Cíveis Originárias de 23 Estados e do Distrito Federal obrigando a União a depositar em conta judicial os valores correspondentes do FPE (Fundo de Participação dos Estados). Inicialmente, a ministra deferiu liminares em favor do Piauí e de Pernambuco. A decisão da ministra é provisória e será analisada pelo plenário.

Conforme o jornal O Estado de S. Paulo antecipou na segunda-feira, 14, o governo federal prepara recurso contra a decisão da ministra. A iniciativa foi acertada na última sexta-feira em reunião, no Palácio do Planalto, entre o presidente Michel Temer e da AGU, Grace Mendonça. A medida também contaria com o aval do ministro da Fazenda, Henrique Meirelles.

A expectativa do governo é que o recurso da AGU seja apresentado ainda nesta semana à Suprema Corte. Além de tentar reverter a decisão de Rosa Weber, que estendeu a divisão da multa da repatriação para 23 Estados e o DF, a preocupação do Palácio do Planalto é de a decisão também ser estendida aos municípios, após futuros questionamentos sobre a partilha dos recursos da repatriação.